TRAGÉDIA

Para Polícia, homem que fez família refém na Iputinga estava em surto psicótico

A esposa de Joaquim Humberto Vaz da Costa pediu ajuda a uma vizinha pelo whatsapp. Corretor de imóveis não entrou em acordo com a PM e atirou contra o próprio peito

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 11/04/2016 às 6:46
Leitura:
Foto: Renata Andrade/Rádio Jornal


O final de semana foi de pânico para a família de Joaquim Humberto Vaz da Costa, de 55 anos. De acordo com a Polícia Militar, o corretor de imóveis entrou em surto psicótico no sábado (9) e fez familiares de reféns na casa onde moravam, no bairro da Iputinga, Zona Oeste do Recife.

De acordo com a Polícia, Joaquim sofreu um surto psicótico - quando a pessoa passa a apresentar alucinações de maneira súbita - um dia após a morte do pai, que era o psicólogo responsável pelo tratamento dele.

O pedido de socorro da esposa de Joaquim, a enfermeira Maria das Graças Pacheco, foi feito a uma vizinha pelo whatsapp durante um momento de descuido do sequestrador. A Polícia foi acionada e tentou negociar com o corretor de imóveis por mais de 16 horas. Ele estava armado e ameaçava atirar na esposa e cometer suicídio.

Na madrugada do domingo, Joaquim Humberto Vaz da Costa chegou a efetuar vários disparos contra os policiais militares. Maria das Graças Pacheco, de 55 anos, foi libertada 15 horas depois.

Uma das vizinhas do casal, Fátima Mendes, diz que ficou surpresa com o surto e que os personagens envolvidos na história eram muito tranquilos:

A rua foi interditada e equipes do 12º Batalhão da Polícia Militar, do Corpo de Bombeiros e do SAMU também ficaram a postos. Como parte do protocolo internacional adotado nessas circunstâncias, a energia elétrica e a água foram cortadas. O major Antônio Menezes, um dos negociadores disse que a intensão era preservar vidas:

Após libertar a esposa, Joaquim Humberto Vaz da Costa atirou contra o próprio peito. Ele chegou a ser socorrido por uma equipe do SAMU, mas morreu no local. O corpo dele está no Instituto de Medicina Legal, em Santo Amaro, e não há previsão de velório ou enterro.

De acordo com os profissionais de saúde, o surto psicótico pode estar relacionado a doenças mentais como a esquizofrenia, o transtorno bipolar e a depressão. O psicólogo Sylvio Ferreira analisa que suicídio tem uma relação direta com outro sentimento: o desespero.

Mais Lidas