RISCO

Defesa Civil de Camaragibe decreta estado de calamidade após chuvas

Final de semana foi de muita chuva na Região Metropolitana do Recife. Na capital pernambucana, um homem morreu após deslizamento de terra

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 18/04/2016 às 14:28
Leitura:
No bairro da Vázea, Zona Oeste do Recife, um deslizamento assustou moradores
Foto: Diego Nigro/ JC Imagem

Devido às fortes chuvas neste fim de semana, a cidade de Camaragibe, na Região Metropolitana do Recife, está em estado de calamidade. De acordo com a Secretaria de Defesa Civil do município, choveu mais de 160 milímetros de volume de água - o que é esperado para 15 dias.

Segundo a Defesa Civil, cerca de 80% de Camaragibe é morro e por isso se torna área de risco. Entre as comunidades mais afetadas estão o Alto Santo Antônio, Céu Azul e Tabatinga.

O secretário de Defesa Civil, Danilo Pernambuco, explica o que está sendo feito no local. “Com colocações de lona para que, posteriormente, a gente possa construir murros de arrimo. Ou seja, as contenções, o que pode ser feito para que a gente possa conter aquelas barreiras que tenham risco de queda”, detalhou.

Quase dez famílias ficaram desabrigadas, mas o secretário informa que não houve mortes e nem feridos.

Confira os detalhes na reportagem de Juliana Nascimento:

O líder comunitário do Loteamento de São Paulo da Camaragibe, Josias Lima, está arrecadando doações para famílias desabrigadas e diz o que as pessoas mais precisam. “Colchão, alimento, lençol. Essas coisas, porque a água acabou com tudo”, disse.

Quem quiser fazer doação pode ligar para o número de Josias Lima 9 8680-4116. A assistência social da Secretaria de Defesa Civil também está recebendo donativos na Avenida Belmino Correa, no Timbi. Outras informações podem ser obtidas no telefone: 2129-9511.

A prefeitura do Recife informou que desde a noite da última sexta-feira, o acumulado de cerca de 230 milímetros de chuvas foi registrado, o que representa, em um intervalo de 36 horas, o equivalente à precipitação de 21 dias de chuva. Cerca de mil profissionais foram mobilizados para ajudar a diminuir riscos e transtornos nos locais de risco no fim de semana.

Três barracos foram atingidos por deslizamento. Uma pessoa morreu
Foto: Bobby Fabisak


A Defesa Civil realizou vistorias e visitas de monitoramento das áreas de risco. Famílias foram alertadas diretamente para deixarem as residências em caso de persistência das chuvas. O telefone da defesa civil funciona 24 horas no telefone 0800 081 3400. A ligação é gratuita.

Foi enterrado no fim da manhã desta segunda-feira (18), no cemitério de Casa Amarela, na Zona Norte do recife, o corpo de João Agostinho da Silva, de 38 anos. O auxiliar de serviços gerais foi soterrado em um deslizamento de barreira, na comunidade do Boqueirão, no Córrego do Euclides, bairro de Nova Descoberta, também na zona norte da capital.

Confira os detalhes na reportagem de Suelen Fernandes:

Ele estava de visita na casa do amigo quando na noite do sábado, três barracos foram destruídos com o deslizamento e duas pessoas foram atingidas. Uma delas, José Samuel da silva, de 33 anos, que saiu ileso. Além de José Samuel, o irmão dele e a família, moravam nos barracos. Nenhum estava no local no momento do acidente.

Mais Lidas