OPERAÇÃO ABRE ALAS

Diretor da Secretaria de Obras de Olinda preso por estelionato

Todo o material recolhido nos mandados de busca e apreensão foi encaminhado para o Depatri, em Afogados. Detalhes do caso serão apresentados nesta terça-feira

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 18/04/2016 às 14:58
Leitura:

A Polícia Civil de Pernambuco apresenta nesta terça-feira (19), na sede do órgão no centro do Recife, detalhes da Operação Abre Alas, que resultou na prisão de seis pessoas suspeitas de peculato, estelionato, concussão e usurpação de função. Além dos seis mandados de prisão preventiva expedidos pela justiça, outros seis mandados de busca e apreensão foram cumpridos, um deles na Diretoria de Licenciamento e Habite-se da Secretaria de Obras da Prefeitura de Olinda.

A investigação do caso está sob responsabilidade da Delegacia do Varadouro, em Olinda, que recebeu uma denúncia da prefeitura do município. De acordo com a prefeitura, ambulantes reclamaram de que estariam sendo extorquidos para poder trabalharem no sítio histórico durante o carnaval.

Os detalhes na reportagem de Clarissa Siqueira:

O diretor integrado metropolitano da Polícia Civil, Joselito Amaral, detalha que entre os presos estão o diretor de licenciamento e habite-se de Olinda, um servidor público da secretaria e outras quatro pessoas que trabalhavam como fiscais recolhendo o dinheiro durante a folia de momo, mas que não eram servidores.

Todo o material recolhido nos mandados de busca e apreensão foi encaminhado para a sede da Departamento de Crimes Contra o Patrimônio (Depatri), no bairro de Afogados. Com esse material a polícia pode identificar se o esquema de estelionato é maior do que investigado inicialmente.

Todos os detidos foram encaminhados para o Cotel, em Abreu e Lima, no Grande Recife.

Mais Lidas