IMPEACHMENT

“Não estou avaliando isso agora”, diz Dilma sobre renunciar

A presidenta concedeu entrevista coletiva na tarde desta segunda-feira (18) e se disse injustiçada

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 18/04/2016 às 19:25
Leitura:
Foto: Agência Brasil


A presidenta Dilma Rousseff em pronunciamento oficial nesta segunda-feira (18), após a votação no Congresso Nacional que aprovou a abertura do impeachment por 342 votos, se disse injustiçada e falou em democracia repetidas vezes. Dilma falou que o processo não tem base de sustentação.
Questionada por jornalistas, Dilma disse que não avalia renunciar ao mandato e nem novas eleições. “Eu não estou avaliando isso agora”, falou.

A presidente comparou a situação em que viveu durante a ditadura militar e os ataques sofridos atualmente. “A ditadura é um milhão de vezes pior”, disse. “[A ditadura]violenta a sociedade como um todo. A outra, se não barrada, violenta também. Mas eu acredito que mais cedo ou mais tarde nós conseguiremos impedir que esses processos sem base legal, praticada por pessoas que deveriam ser afastadas e investigadas não ocorram mais no Brasil”, disse.

A presidente criticou os pronunciamentos durante a votação. “Eu assisti ao longo da noite de ontem todas as intervenções e não vi uma discussão sobre o crime de responsabilidade que é a única maneira de se julgar um presidente da república no Brasil, isso porque a Constituição assim o prevê”, comentou a presidenta. “Não há crime de responsabilidade”, defendeu-se.

“Os atos pelos quais eles me acusam, foram praticados por outros presidentes da República, antes de mim. E não se caracterizaram como sendo atos ilegais ou criminosos. Foram considerados legais”, acrescentou a presidenta.

Confira todos os detalhes da coletiva:

Mais Lidas