POLÍTICA

Paulo Câmara discorda de retaliar quem votou contra impeachment de Dilma

Executiva Nacional do PSB havia decidido apoiar o impeachment, mas três deputados votaram contra a abertura do processo

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 19/04/2016 às 7:54
Leitura:
Foto: Mayra Cavalcanti/NE10


O Partido Progressista (PP) e o Partido Democrático Trabalhista (PDT) vão punir quem desobedeceu a orientação da Executiva Nacional. Seis pedetistas descumpriram a orientação de ser contra o pedido de impeachment e quatro progressistas que deveriam ser a favor, votaram contra o impedimento, além de suas abstenções. No caso da presidente, as únicas legendas que cumpriram integralmente o voto contra o processo foram o PT e o PCdoB.

Para o governador Paulo Câmara, que é vice-presidente Nacional do PSB, Pernambuco não irá sofrer sanções, já que a maioria da bancada seguiu a determinação de votar contra a petista. O socialista discorda de punir quem desobedeceu a ordem da executiva na Câmara ou desobedecer no Senado.

Ele nega que lideranças do PSB estão negociando cargos num eventual governo Michel Temer. Na manhã desta segunda-feira, o governador participou de um encontro com empresários no Recife. No evento, Paulo Câmara afirmou que o país necessita de saídas a curto prazo para superar a crise político-econômica:

Mais Lidas