CURADO

Frente Parlamentar de Segurança Pública da Alepe vai negociar com secretário de Justiça o futuro do Complexo Prisional do Curado

Debate será levado para Pedro Eurico, que, apesar de convidado com antecedência, não apareceu na Audiência Pública para discutir a pauta

Rádio Jornal Rádio Jornal
Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 26/04/2016 às 10:24
Leitura:
Audiência Pública sobre a situação dos moradores lotou a Alepe na manhã de ontem. Foto: Rafael Carneiro/Rádio Jornal


Depois da Audiência Pública realizada na última segunda-feira (25) no plenário da Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) sobre a desapropriação de mais de 50 imóveis nos entornos do Complexo Prisional do Curado, na Zona Oeste do Recife, a pauta vai ser levada para a Secretaria de Justiça do Estado.

Na Audiência, moradores da área defenderam o direito de permanecer em suas moradias e consideram que o despejo não resolve o problema da insegurança. A promotoria da Vara de Execuções Penais defende o fechamento das três unidades que compõem o complexo prisional. A Audiência não contou com a presença do secretário de Justiça e Direitos Humanos, Pedro Eurico.

O Governo do Estado tomou a medida de desapropriação após uma fuga em massa no Presídio Frei Damião de Bozzano. Os moradores que vão ser retirados dos imóveis ameaçam acionar a Justiça para garantir o direito a moradia. A agente de saúde Maria Cícera Vidal diz que a comunidade não pode ser expulsa sem direito a nada:



Uma reunião entre o grupo de deputados que compõem a Frente Parlamentar de Segurança Pública e Pedro Eurico está marcada para a próxima quinta-feira (28). Cerca de sete mil homens estão no Complexo Prisional do Curado, que tem pouco menos de 1.500 vagas. O líder da bancada de oposição da Alepe, Sílvio Costa Filho, acredita no entendimento com o Governo:

Mais Lidas