ENTREVISTA

"Estado vai ter dificuldade para pagar reajuste da PM", diz secretário

Milton Coelho criticou sindicatos e diz que Governo do Estado está em dificuldades

Rádio Jornal Rádio Jornal
Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 28/04/2016 às 10:53
Leitura:


No dia seguinte ao reajuste que impediu a greve dos policiais e bombeiros militares, o Secretário de Administração de Pernambuco, Milton Coelho, já mostrou sinais de novas dificuldades após o fim do movimento da PM. Em entrevista ao programa de Geraldo Freire nesta quinta-feira (28), Milton Coelho
afirma que "o Estado vai ter dificuldade para pagar esse reajuste".

De acordo com o secretário estadual, mesmo com a greve evitada, não existem motivos para comemorar. Ele afirma que a situação financeira pernambuca segue difícil e que o acordo com a PM surtiu efeito porque ambas as partes estão em negociações mensais há cerca de um ano. "Conseguimos um acordo que atinge, especialmente, a gratificação. Valorizamos também o vale transporte", declarou.

O socialista afirmou ainda que uma greve de servidores da polícia é mais complicada: "segurança não tem preço. Só com a ameça de paralisação, já havia sinais de pânico na população", disse. O secretário disse ainda que o governo precisará fazer todo um exercício para "suportar" o reajuste. Em relação a pleitos de outros servidores estaduais, como policiais civis e professores, não há muito o que fazer por causa da crise: "os demais servidores não podem nos cobrar com o que a gente não tem", dispatou.

Apesar de considerar que os PMs tiveram uma "boa vitória", Milton Coelho criticou os sindicatos de forma geral: "nem tudo que sindicato diz é verdade", declarou. Ele pediu responsabilidade por parte da sociedade e disse que não há possibilidade de "pedidos estapafúrdios de reajuste". Sobre os professores
da rede pública estadual de ensino, o secretário afirma que o piso será cumprido, como determina a lei, e que a data base de reajuste da categoria é junho.

Mais Lidas