OPINIÃO

Oposição pernambucana discute o país num possível governo Temer

Os deputados federais Tadeu Alencar (PSB), Raul Jungmann (PPS) e Mendonça Filho (DEM) conversaram com Geraldo Freire

Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 02/05/2016 às 17:21
Leitura:


Com a possibilidade cada vez mais provável ao afastamento da presidente Dilma Rousseff, o que acontecerá com o país? O que esperar de um possível governo Temer? Pernambucanos com experiências administrativas e que podem participar de uma possível nova gestão participaram do Debate da Super Manhã desta segunda-feira (2).

Os deputados federais Tadeu Alencar (PSB), Raul Jungmann (PPS) e Mendonça Filho (DEM) conversaram com Geraldo Freire e comentaram a situação. Eles lembraram o impeachment do ex-presidente Fernando Collor.

Mendonça critica o Partido dos Trabalhadores e diz que o partido não respeita as instituições. “Quando eles se comportam como donos do Estado Brasileiro eles demostram que não têm respeito à democracia e ao modelo constitucional brasileiro, porque eles pediram o impeachment de quatro ex-presidentes”, falou. “O ódio que essa turma do PT tá colocando nas ruas, que nós temos sentido, é uma coisa que mostra o caráter autoritário dessa turma do PT”, atacou o deputado.

Confira o debate completo:

Tadeu Alencar também se diz assustado com o clima de intolerância no país. “Nós vimos pessoas brigando na família, amigos de longas datas”, comentou. Ele criticou os ataques às pessoas nas ruas, citando a situação com o cantor e compositor Chico Buarque.

Sobre um possível governo Temer ele disse que não dá para torcer para que o governo dê errado. “Se tiver uma cara boa esse novo governo, e eu acho que tem toda condição de ter, nós precisamos apoiar, porque não podemos desejar essa renovação e ao mesmo tempo torcer para dar errado”, avaliou.

Raul Jungmann falou ainda sobre os bastidores do palácio. “As informações que nós temos é que hoje dentro do Palácio do Planalto estão empacotando tudo e levando inclusive informações que são estratégicas para o país”, afirmou Raul.

Mais Lidas