MOBILIDADE

Com paralisação dos metroviários, linhas especiais de ônibus são uma opção

O metrô do Recife está funcionando apenas nos horários de pico. O modal circulou entre 5h e 9h e volta a atender das 16h às 20h

Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 10/05/2016 às 14:29
Leitura:
Linhas especiais foram criadas para o grupo
Foto: Rafael Carneiro/ Rádio Jornal

Cerca de 1900 metroviários aderiram a uma paralisação nacional de 24 horas nesta terça-feira (10). O movimento está alinhado com o Dia Nacional em Defesa dos Direitos Trabalhista e da Democracia, em apoio ao governo da presidente Dilma Rousseff.

Com isso, gestores operacionais da Companhia de Trens Urbanos (CBTU) assumiram as composições para atender os quase 400 mil passageiros que utilizam o serviço nas linhas sul e centro do metrô do Recife, por dia.

O esquema especial entrou em operação entre 5h e 9h volta a atender às 16h às 20h garantindo a volta para casa. No entanto, os Veículos Leves Sobre Trilhos (VLTs) não funcionam.

Na Estação Central do Metrô, a demanda foi considerada abaixo do normal. O intervalo médio de 10 minutos em cada viagem foi suficiente para o bancário Deivison Benevides chegar ao destino final. “Dependendo do horário, você consegue pegar tranquilo”, disse, comentando que o vagão estava cheio como de costume para o horário.

Às 9h em ponto, as portas das 29 estações se fecharam e a saída foi recorrer à operação especial de ônibus. Duas linhas foram criadas para atender os passageiros do metrô: TI-Joana Bezerra/TI–Afogados/ TI-Barro e TI-Barro/TI-Jaboatão.

Os portões foram fechados às 9h em ponto
Foto: Rafael Carneiro/ Rádio Jornal

O pintor Jonas Ferreira foi surpreendido com a paralisação e seguiu viagem de ônibus.

Confira os detalhes na reportagem de Rafael Carneiro:

O grande recife consórcio de transporte também reforçou o número carros na linha BRT Camaragibe; TI-Tip/Centro; TI-TIP-Tancredo Neves e TI-TIP/Conde da Boa Vista.

Os metroviários, que cruzaram os braços nesta terça-feira (10), promovem ato às 18h na Estação Central. Na pauta, a campanha salarial da categoria.

Mais Lidas