CHUVAS

"Nenhuma cidade do mundo passaria por essas chuvas sem enfrentar dificuldades", afirma Geraldo Júlio

Prefeito do Recife argumentou que as chuvas da última segunda (9) representaram 18 dias de precipitação na cidade

Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 10/05/2016 às 9:59
Leitura:
Foto: JC Imagem

Após críticas ao planejamento do Recife causadas pelos transtornos em decorrência das chuvas que atingiram a cidade nas últimas horas, o prefeito Geraldo Júlio alegou que nenhuma cidade do mundo iria passar pela mesma quantidade de chuvas sem enfrentar dificuldades. O prefeito argumentou que os 185 mm acumulados representam o quantitativo de 18 dias de precipitações.

Os metereologistas esclarecem que, no mês de maio, a média histórica é de 328 mm. Dados oficiais indicam que o Recife tem cerca de 5 mil pontos de risco de desabamento nos morros. Os efeitos negativos das chuvas da última segunda (9) atingiram também famílias de áreas ribeirinhas. Acrescenta-se à lista de problemas o grande número de ruas e avenidas alagadas por causa de galerias entupidas e pelo menos 25 semáforos apresentaram falhas técnicas e precisaram de manutenção.

Mais de 1.200 profissionais da Prefeitura do Recife atuam para equacionar os transtornos das chuvas. Geraldo Júlio reconhece que muita água caiu e nenhuma cidade estaria preparada para isso. O prefeito afirma que, diante do cenário, a prioridade via para quem corre risco de morte na capital:

Mais Lidas