PREVIDÊNCIA

Michel Temer e centrais sindicais decidem criar grupo de trabalho para discutir previdência social

Polêmica reforma vai ser trabalhada em acordo entre o presidente interino e representantes de movimentos

Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 17/05/2016 às 10:19
Leitura:
Foto: Reprodução/Internet


Mesmo com quórum baixo por causa da ausência de centrais sindicais, como a Central Única dos Trabalhadores (CUT) e a Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), o presidente interino Michel Temer encontrou quatro entidades e movimentos sindicais na última segunda-feira (16). Na reunião ficou concluído que será criado um grupo de trabalho para discutir nos próximos 30 dias as propostas para reforma da previdência social.

O presidente da Força Sindical, deputado Paulo Pereira da Silva (SD-SP), disse ter ficado animado com as propostas. Além de Temer, estiveram presentes na reunião o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, e o ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira. Participaram representantes da União Geral dos Trabalhadores (UGT), Central dos Sindicatos Brasileiros (CSB) e a Nova Central Sindical de Trabalhadores (NCST).

Em nota, o presidente da CUT, Wagner Freitas, disse que a Central não vai participar de qualquer negociação com Michel Temer, pois o considera um golpista. Ouça o flash de Romoaldo de Souza:

Mais Lidas