HABITAÇÃO

Ministério Público quer cancelamento de leilão promovido pelo Governo do Estado

MPPE recomenda que terrenos sejam destinados à construção de moradias populares. Governo acredita que pode arrecadar R$ 5 milhões no leilão

Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 18/05/2016 às 7:49
Leitura:
Terreno fica às margens da BR-101, na Guabiraba. Estado quer arrecadar R$ 5 milhões. Imagem: reprodução/Google Earth


Serão colocados à venda dois terrenos localizados no Loteamento Berenguer, nas margens da BR-101, na Guabiraba, Zona Norte do Recife. Um deles tem 15.600 metros quadrados e o outro tem 13 mil metros quadrados, com valor total de R$ 3,92 milhões.

O Governo do Estado acredita que pode arrecadar até R$ 5 milhões no primeiro leilão de bens e imóveis, marcado para às 13h desta quarta-feira (18) no empresarial RioMar Trade Center, no Pina. Mas o Ministério Público de Pernambuco defende a tese de que os 20 imóveis indicados para venda devem ser destinados à construção de moradias populares.

Imagem: reprodução/Google Earth

A recomendação é da promotoria de defesa da cidadania, que engloba as áreas de habitação e urbanismo. A promotora Bettina Guedes adverte que com a desobediência da recomendação implicará em medidas legais cabíveis. Segundo ela, há déficit de 240 mil moradias no Estado, sendo 63 mil só na capital. Além disso, nas investigações em curso, feitas pelo MPPE, os gestores públicos alegam falta de terrenos legalizados para implantar os habitacionais. "É necessário um plano de habitação", diz a promotora.

O Governo do Estado diz que o leilão está mantido. O secretário Executivo de Administração José Augusto Bichara diz, em poucas palavras, que se trata de um bom negócio:

Mais Lidas