CABO

Polícia vai usar DNA para identificar suspeitos de explosão em Caixa

Imagens das câmeras de segurança não foram suficientes para identificação dos suspeitos. Balde com sangue deixado na agência pode solucionar mistério

Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 18/05/2016 às 9:49
Leitura:


Imagens das câmeras de segurança da agência. Vídeo: divulgação/Polícia Federal

Reportagem de Rafael Carneiro

A Polícia Federal divulgou nesta quarta-feira (18) que vai apelar para exames de DNA como recurso para identificar os suspeitos de explodir parte da agência da Caixa de Ponte dos Carvalhos, no Cabo de Santo Agostinho, na madrugada dessa terça-feira (17). Isto por que os homens estavam com o rosto coberto e as imagens das câmeras de segurança do banco não foram suficiente para as investigações.

De acordo com o chefe de Comunicação da Polícia Federal, Giovani Santoro, pelo menos cinco homens participaram da explosão em dois caixas eletrônicos durante um assalto. A quadrilha fugiu deixando para trás cédulas de pequeno valor e grampos de ferro para impedir a perseguição policial.

Um balde encontrado no local do crime pode ajudar a solucionar o mistério. A polícia acredita que o sangue encontrado dentro do objeto é de um dos suspeitos e poderá ser usado para identificar pelo menos um dos homens. "Identificando um deles, a gente pode mapear toda a quadrilha", explica Giovani Santoro.

Ainda de acordo com a Polícia Federal, câmeras de segurança de estabalecimentos comerciais próximos poderá ser usado para ajudar nas investigações. "Eles foram até o posto da Polícia Militar e colocaram grampos na BR. Pode ser que outras câmeras consigam identificá-los", diz Giovani.

Apenas em 2016, a Polícia Federal já conseguiu desarticular seis quadrilhas especializadas em assalto a bancos e correspondentes dos Correios. As investigações resultaram na prisão de 30 pessoas.

Mais Lidas