POLÍTICA

“O processo de reeleição deve ser extinto”, defende Roberto Magalhães

Ex-governador de Pernambuco foi convidado do Audiência Marcada desta sexta-feira (20), no Balanço das Notícias

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 20/05/2016 às 20:45
Leitura:
Roberto Magalhães foi o convidado desta sexta (20) do Audiência Marcada

Em uma fase na qual a política sofre um alto desgaste, devidos aos escândalos envolvendo os desvios na aplicação dos recursos públicos e barganhas travadas pelos atores que representam o povo nos poderes Executivo e Legislativo, o ex-governador de Pernambuco, Roberto Magalhães, defende reformas estruturais que poderiam "moralizar" o País. Oriundo do antigo PFL, Magalhães foi o entrevistado desta sexta-feira (20), do Audiência Marcada com o comunicador Ednaldo Santos. O editor de política do Jornal do Commércio, Gilvan Oliveira, também participou da conversa.

Durante o programa, o ex-governador argumentou que é preciso acabar com a reeleição nas três esferas do Executivo. “O processo de reeleição deve ser extinto, principalmente de presidente”, propôs. O fim do presidencialismo de coalizão também está na lista de prioridades para Magalhães. “Isso é bandidagem, não é política. Não é possível se fazer política com tantas influências partidárias”, argumentou. Outra mudança necessária, na visão dele, seria reduzir a quantidade de legendas. “Precisamos ter Brasil partidos com representatividade de votos. Do contrário, nunca vai haver um Legislativo eficiente e de melhor qualificação”. Ouça o Audiência Marcada, na íntegra:

O impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT) foi outro assunto evidenciado durante o programa. O entrevistado foi enfático e rechaçou a versão de “golpe” para o impedimento da petista. “Incomoda-me tudo que é mentiroso e serve de instrumento para enganar o povo. O Impeachment está na constituição de todos os países democráticos. Tem que haver uma saída para crise. O Impeachment é uma medida sábia e pacífica de tirar um presidente”, defendeu.

Indagado sobre o futuro do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), o ex-governador Roberto Magalhães manifesta certa preocupação com uma possível prisão do petista. “Lula pode ser considerado um preso político. Ele pode virar um herói perseguido. Acho que a medida seria um erro”. Mesmo com as denúncias contra Lula, Roberto Magalhães o considera o político mais forte do momento.

No Audiência Marcada, o ex-governador de Pernambuco também falou sobre as perspectivas da candidatura da deputada estadual Priscila Krause (DEM) à Prefeitura do Recife. Na visão dele, a parlamentar é uma boa candidata, tem muitas qualidades, mas precisa de alianças. Para ele, o atual prefeito, Geraldo Júlio, apresenta-se, na atual conjuntura, como favorito.

Mais Lidas