MICROCEFALIA

Mais de 500 bebês com suspeita de microcefalia esperam por diagnóstico

Último boletim da Secretaria de Saúde mostra que 1968 casos suspeitos de microcefalia foram notificados em Pernambuco

Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 25/05/2016 às 8:25
Leitura:
Foto: Edmar Melo/Arquivo JC Imagem


De 1º de agosto de 2015 até o dia 21 de maio de 2016, 1.968 casos de microcefalia foram notificados em Pernambuco. Desse total, 541 ainda não têm diagnóstico fechado.

De acordo com a Secretaria de Saúde, 843 casos, ou 42% do total, atendem aos parâmetros da Organização Mundial de Saúde (OMS) para microcefalia. Ao todo, 359 foram confirmados como microcefalia e 1.068 foram descartados.

Também foram registrados 33 casos de bebês natimortos e 28 que vieram a óbito logo após o nascimento. Destaca-se que nenhum dos casos teve microcefalia como causa básica de morte.

Desde que a notificação de casos de gestantes com exantemas foi tornada obrigatória, no período de 2 de dezembro de 2015 a 21 de maio de 2016, foram notificados 4.244 casos de gestantes com esse quadro clínico. Desse total, 25 possuem detecção de microcefalia intra útero.

Vale salientar que a notificação das mulheres com exantema não significa, necessariamente, que elas são casos suspeitos de dengue, chikungunya ou zika, já que outros fatores podem ter ocasionado as manchas vermelhas (rubéola, intoxicação, alergia ou alguma outra virose). O exantema também não é indicativo que a mulher terá um bebê com microcefalia.

Em Pernambuco, o Centro de Pesquisa Aggeu Magalhães/Fiocruz e o Instituto Evandro Chagas confirmaram 154 casos de microcefalia relacionados ao vírus zika por detecção laboratorial. Outros 94 casos deram negativos e três inconclusivos, totalizando 251 testes realizados.

Mais Lidas