ZONA NORTE

Cano estourado pode ter causado deslizamento de barreira na Zona Norte

Pelo menos três casas foram interditadas pela Defesa Civil, depois de um deslizamento de barreira na madrugada desta sexta-feira, no Córrego da Areia

Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 27/05/2016 às 14:56
Leitura:
Casa destruída após deslizamento de terra
Foto: Rafael Carneiro/ Rádio Jornal

Segundo os moradores, o deslizamento de terra que afetou três residências pode ter acontecido por causa de um cano mestre da Compesa estourado há vários meses.

Pelo menos três casas foram interditadas pela Defesa Civil, depois de um deslizamento de barreira na madrugada desta sexta-feira (27) na Rua Manjericão, no Córrego da Areia, Zona Norte do Recife. Uma das casas, que estava vazia e passava por reforma, ficou totalmente destruída.

A outra moradia está com o barro que deslizou, colado em uma das paredes. Já a terceira casa, onde o senhor Rovaldo Flores, a esposa, a filha de cinco meses e mãe moravam, ficou parcialmente destruída. Ele chegou a ficar soterrado antes de ser resgatado por vizinhos e conta o que sentiu no momento. “É uma sensação muito desesperadora. Eu tava dormindo e só pensava na minha filha”, comentou.

Confira os detalhes na reportagem de Cibelly Melo:

Uma antiga moradora do local, a dona de casa Maria José da Silva falou que a barreira já caiu há algum tempo por conta do cano estourado e disse que, após 15 dias do ocorrido, foi autorizado que os moradores voltassem ao local.

Uma equipe da Defesa Civil esteve no local nesta sexta para verificar a necessidade de interdição de outras residências. A área é considerada de risco e a motivação do deslizamento ainda não foi determinada.

O secretário executivo da Defesa Civil, Cássio Sinomar, detalha os principais fatores que podem ter motivado o incidente. “Pode ter vários fatores. Corte irregular. É uma área de monitoramento e vai continuar sendo monitoramento”, avaliou, dizendo que a área atingida já foi interditada e, caso seja necessário, outras casas serão afetadas.

Em nota, a Compesa afirmou que enviou técnicos ao local para avaliar as causas do acidente e adotar as providências cabíveis. A companhia disse ainda que até o momento não há uma causa conclusiva para justificar o motivo do estouramento da tubulação. Em relação aos danos causados aos imóveis, a Compesa garantiu que dará todo o apoio as famílias atingidas.

Mais Lidas