OPINIÃO

Médico avalia que mudança de ministros da Saúde piorou situação do SUS

Geraldo Freire recebeu os médicos Gil Brasileiro, Guilherme Robalinho e João Veiga para discutir o futuro do Sistema Único de Saúde

Rádio Jornal Rádio Jornal
Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 01/06/2016 às 13:16
Leitura:


Após anúncio do governo interino de Michel Temer de limitar investimento na saúde, aumentou a preocupação do futuro do Sistema Único de Saúde (SUS). Para falar sobre o assunto, Geraldo Freire recebeu os médicos Gil Brasileiro, Guilherme Robalinho e João Veiga.

Guilherme Robalinho avalia que o governo brasileiro não é eficiente como gastador de recurso. “O cartão SUS foi deixado no final do governo de Fernando Henrique Cardoso. Uma despesa que é mais de R$ 500 milhões aplicado no cartão e isso foi completamente e criminosamente abandonado nos 13 anos do governo do PT”, atacou o médico Guilherme Robalinho, dizendo que todas as informações do paciente estavam no cartão SUS.

“Fico muito preocupado com o futuro. Sobrevive-se, mas essa tabela SUS a gente realmente não vê como pedir”, comentou Gil Brasileiro.

Já o médico João Veiga, acredita que há um futuro sim para o SUS, mas o problema é o gerenciamento. “Quantos ministros da Saúde nós tivemos? Era um atrás do outro. Tinha ano que você não sabia nem quem era o seu ministro da Saúde. Teve ministro da Saúde nessa gestão do PT que durou 11 meses”, comentou. “É difícil você gerenciar um orçamento e uma complexidade do SDUS com essa lógica de se trocar o ministro da Saúde”, completou doutor João Veiga.

Confira os detalhes no debate completo:

Mais Lidas