ECONOMIA

Dia dos Namorados deve sentir os efeitos da crise econômica no país

Pesquisa do instituto Fecomércio revela que menos da metade dos consumidores da Região Metropolitana do Recife pretendem comemorar a data, seja com presente ou celebrando em um almoço ou jantar

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 05/06/2016 às 8:25
Leitura:
Legenda

Uma das grandes datas para o comércio, o Dia dos Namorados, deve sentir os efeitos da crise econômica no país. Pesquisa do instituto Fecomércio, em parceria com o Sebrae, revela que menos da metade dos consumidores da Região Metropolitana do Recife pretendem comemorar a data, seja com presente ou celebrando em um almoço ou jantar. No estudo foi verificado que apenas 42% das pessoas pretendem comemorar a data este ano e que 39% dos empresários entrevistados acreditam que o volume de vendas será menor em relação ao mesmo período no ano passado. De acordo com o levantamento, os principais fatores apontados pelos consumidores que não têm a intenção de comemorar a data foram o fato de estarem sem dinheiro (13,3%), o desemprego (9,8%) e o endividamento (7,6%).

Dentre os que preferem celebrar, a compra de presente ainda permanece em destaque com 84,3% das respostas dos consumidores, apontando uma previsão de gasto médio de R$214,00. Já para os que optam por celebrar em restaurantes ou bares (33,8%), o ticket médio previsto é de R$174,00. Entre os itens apontados como os preferidos para presentear, destacam-se as ‘roupas e acessórios do vestuário’ (30,1%), seguido de ‘perfumes e cosméticos’ (23,5%), ‘sapatos, sandálias e acessórios de calçados’ (17,2%) e ‘celulares, smartphones e tabletes’ (7,1%).

O economista da Fecomércio Rafael Ramos afirma que consumidores e empresários estão pessimistas, “os empresários vão usar de descontos, campanha na internet e uma minoria de prêmios e brindes para atrais os usuários, mas a expectativa é de queda do consumo”, disse.

Confira a entrevista completa do comunicador do Superdomingo Paulo Roberto com Rafael Ramos:

Mais Lidas