TERCEIRO SETOR

ONG realiza trabalhos preventivos com moradores de áreas de risco

A ONG Habitat para a Humanidade Brasil atua em comunidades periféricas da Região Metropolitana do Recife

Rádio Jornal Rádio Jornal
Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 09/06/2016 às 21:44
Leitura:
Foto: Ricardo B. Labastier/JC Imagem

A ONG Habitat para a Humanidade Brasil trabalha a prevenção e o monitoramento em ambientes de risco por meio do projeto ‘meio ambiente seguro’, que conta com a participação de lideranças comunitárias, moradores, agentes e jovens. Para quem mora próximo a barreiras e escadarias, é importante tomar algumas precauções e adotar práticas seguras para evitar situações de risco. Uma delas é não jogar lixo nas encostas, prática que gera peso nas barreiras, entope a saída de água e provoca deslizamentos de terra. Canais e canaletas poluídos também aumentam o risco de surgimento de doenças e comprometimento da saúde da população.

Ouça a coluna Completa:

O local escolhido para a realização do trabalho foi a Bomba do Hemetério, bairro da Zona Norte do Recife. O bairro foi escolhido por existir um grande descarte de lixo nas ruas, o que compromete a situação das áreas de risco do local. O bairro é cercado de morros e já chorou a morte de moradores que foram soterrados por deslizamentos de barreiras cobertas de lixo.

Foto: Bobby Fabisak/ JC Imagem

A ONG mobilizou vários voluntários para percorrer ruas do bairro e recolher o máximo de lixo possível. Eles distribuem sacos de 200 litros, o que permite, ao final, ter uma certa contagem do montante recolhido. Outra preocupação da catação coletiva é identificar focos de dengue. Nas grandes cidades, as comunidades de baixa renda apresentam alguns traços característicos que muitas vezes impedem seu pleno desenvolvimento e o bem-estar e qualidade de vida de seus moradores.

Muitas contam com adensamento populacional alto e casas muito precárias, com pouca ventilação ou iluminação natural. Além disso, é comum verificar o descarte incorreto do lixo e moradias construídas em áreas que apresentam risco às famílias, como na beira de canais e na encosta de barreiras não-contidas.

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e estatística (IBGE), 77% dos domicílios de áreas de moradia informal, precária, pobre ou com serviços precários ficam em regiões metropolitanas com mais de 2 milhões de habitantes. Desse total, 7,5% dos habitantes estão no recife, uma das principais capitais do Nordeste que, paralelamente, apresenta altíssimos índices de desigualdade social, inúmeras comunidades de baixa renda e sérios problemas ambientais.

Viver em um ambiente seguro é essencial para uma boa qualidade de vida. Para famílias que moram em locais com barreiras e escadarias, é importante tomar precauções para evitar situações de risco provocadas pela chuva, pelo descarte inadequado de lixo e por outros fatores que podem levar a consequências sérias para os moradores. Através do projeto meio ambiente seguro, lideranças, moradores, agentes comunitários e jovens são capacitados para se tornarem multiplicadores de conhecimento em suas comunidades e agentes de redução de riscos ambientais.

Mais Lidas