EDUCAÇÃO

Professores da rede estadual suspendem aulas para cobrar pagamento do piso

Os professores da Rede fazem uma paralisação de 24 horas. Ato no Derby está programado para às 15h

Rádio Jornal Rádio Jornal
Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 10/06/2016 às 10:28
Leitura:
Foto: Reprodução/Google Street View


Professores da Rede Estadual de Ensino fazem paralisação de advertência em todas as escolas públicas nesta sexta-feira (10). O motivo é a situação que se encontra a educação pública no âmbito estadual e nacional, e principalmente o não cumprimento do piso nacional.

No Complexo Educacional do IEP, que fica no Centro do Recife, poucos alunos chegaram para assistir aulas nesta sexta-feira (10). Das quatro escolas, apenas a Sílvio Rabelo. Nas Rochael de Medeiros, Waldemar de Oliveira e Sizendo Silveira, de acordo com os alunos, nem os gestores estavam presentes.

A estudante Ísis Débora, que faz o 1º ano na Escola Sílvio Rabelo, diz que os professores haviam avisado da paralisação, mas que cinco alunos compareceram hoje. “Quando chegamos aqui, não tem nem os gestores para forçar os alunos a subir”, disse.

O último encontro nos professores aconteceu no dia 17 de maio. Na próxima segunda-feira (13), o sindicato vai participar de mais uma rodada de negociação com o governo. A reunião acontece na secretaria de administração do estado.

Até agora, o estado ofereceu uma proposta de reajuste de 7% para toda a grade de professores da licenciatura e 6,12% para auxiliares, assistentes e analistas, tudo a partir do dia 1º de janeiro de 2017, com pagamento retroativo referente a esse ano. No dia 17 a categoria se reúne mais uma vez em assembleia.

PROTESTO

Os professores vão se reunir na tarde desta sexta em protesto contra o Governo do Estado. O ato está programado para às 15h, na Praça do Derby. Lá, eles devem se juntar ao movimento contra o governo interio de Michel temer. O espaço, que já foi palco de um acampamento e de vários atos em defesa da democracia, também vai receber uma mobilização organizada pelas frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo.

Mais Lidas