CORRUPÇÃO

Em Pernambuco, prefeito preso governa cidade de dentro da cadeia

Prefeito de Catende, Otacílio Cordeiro (PSB) teve licença renovada por mais 15 dias e vereadores aprovaram ação por 12 votos e uma abstenção

Rádio Jornal Rádio Jornal
Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 14/06/2016 às 10:52
Leitura:
População na frente da casa do prefeito de Catende, no Agreste Pernambucano. Foto: Bobby Fabisak / JC Imagem

O município de Catende, no Agreste Pernambucano e distante a 142 quilômetrios do Recife, vive uma situação inusitada. A cidade vem sendo governada de dentro da cadeia, já que o prefeito Otacílio Alves Cordeiro (PSB) está preso desde o dia 2 de junho.

Otacílio foi alvo de uma operação da Polícia Civil de Pernambuco que investiga fraudes e desvio de dinheiro público. Chamada de Tsunami, a ação prendeu o prefeito, o filho e a nora dele. As informações são da repórter Núbia Silva, da Rádio Jornal Caruaru.

Uma mala com 750 mil reais foi encontrada dentro da casa do prefeito, junto com uma barra de ouro. Foto: Bobby Fabisak/ JC Imagem

O prefeito deve responder por lavagem de dinheiro, corrupção e falsificação de documentos. Na casa do gestor, foram encontrados R$ 750 mil em espécie dentro de uma mala, além de uma barra de ouro. Após a prisão, a Câmara de Vereadores de Catende concedeu licença ao prefeito, que governa a cidade de dentro da cadeia.

Leia também:

Filho do prefeito de Catende preso na Operação Tsunami fala em injustiça

Operação Tsunami: polícia apreende barra de ouro avaliada em R$ 40 mil

Na noite dessa segunda-feira (13), a Câmara de Vereadores votou a renovação da licença, a pedido da defesa do socialista. Com maioria absoluta no parlamento municipal, a ação foi aprovada com 12 votos contra uma abstenção, vinda do único vereador da oposição. A renovação mantém o prefeito no cargo, afastando no momento, a possibilidade de perda de mandato.

Durante a votação na Câmara, um grupo de defensores do prefeito realizou um protesto pelas ruas do centro da cidade em apoio a Otacílio. O presidente da Câmara de Catende, o vereador José Wellington da Silva, afirma que a decisão foi tomada levando em conta a Lei Orgânica do Município. Com a licença renovada por mais 15 dias, a cidade segue sendo decidida por trás das grades.

Mais Lidas