ARTICULAÇÃO

Desfecho de Eduardo Cunha ainda é mistério. Deputados discutem cassação

Além disso, Ministério Público defende que Cunha devolva R$ 20 milhões por evidências de enriquecimento ilícito, e tenha os direitos políticos suspensos por dez anos

Rádio Jornal Rádio Jornal
Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 14/06/2016 às 15:55
Leitura:
Foto: Agência Brasil

Nesta terça-feira (14) será feita mais uma tentativa de botar o parecer pela continuidade do processo de cassação do presidente afastado da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB).

Os deputados vão se debruçar sobre o parecer que sugere a perde do mandato do político um dia depois do Ministério Público defender que Cunha devolva R$ 20 milhões por evidências de enriquecimento ilícito, e tenha também os direitos políticos suspensos por dez anos.

O desfecho do caso está nas mãos da deputada Tia Eron (PRB), que ainda não se manifestou publicamente sobre o caso. Pela contabilidade dos parlamentares, Cunha tem dez votos a seu favor e nove contra. É aí que Tia Eron pode resolver a disputa.

Se votar pela cassação, o placar fica empatado e a decisão vai para o presidente do Conselho de Ética, José Carlos Araújo, que tem o voto de minerva e já declarou que irá votar pela perda do mandato do deputado carioca.

Mas se Tia Eron não quiser a cassação, cunha escapa ileso do conselho de ética e não perde o mandato.

Eduardo Cunha, o poderoso presidente afastado da Câmara dos Deputados, é investigado no Conselho de Ética pela suspeita de ter ocultado contas bancárias na Suíça e de ter metido, em 2015, sobre a existência dessas contas em depoimento à CPI da Petrobrás.

Romoaldo de Souza tem os detalhes na reportagem:

A expectativa é de que esse relatório do deputado Marcos Rogério (DEM) dificilmente será votado nesta terça-feira (14). Por dois motivos: um por uma questão de tempo. A outra questão é que o PSOL, partido que deu entrada nessa representação em novembro do ano passado pedindo a cassação do mandato de Eduardo Cunha, estuda incluir um adendo.

Esse aditivo que seria incluído é o relatório do Banco Central que multa Eduardo Cunha em R$ 1,13 milhão por ele ter aberto contas no exterior e não ter declarado à Receita Federal.

É bom lembrar que segundo regimento da Câmara dos Deputados tão logo comece a sessão plenária na Casa todas as comissões, incluindo o Conselho de Ética, devem suspender os debates que culminem em votação. Pela estimativa do presidente interino Waldir Maranhão, por volta das 16h a sessão vai ser aberta e com isso reunião no conselho de Ética terá de ser suspensa.

Mais Lidas