INTERIOR

Suspeitos de triplo homicídio em Escada são procurados pela polícia

De acordo com o delegado Rogaciano Campos, o grupo seria responsável por um triplo homicídio em Escada, e que teria sido motivado pela disputa de tráfico

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 16/06/2016 às 17:11
Leitura:
Foto: TV Jornal

Vinte e oito mandados de prisão preventiva, sendo onze expedidos contra alvos soltos e dezessete contra alvos presidiários, além de sete mandados de busca e apreensão domiciliar em desfavor de integrantes de associações criminosas, foram cumpridos nos municipios de Escada, Ipojuca e Cabo de Santo Agostinho. A operação que foi desencadeada pela Polícia Civil de Pernambuco, na última quarta-feira, teve o objetivo de reprimir os crime de tráfico de drogas, associação para o tráfico, roubos e homicídios na região.

Dois detentos que já cumprem pena por tráfico e que tiveram mandados expedidos foram identificados pela polícia como chefes de quadrilha: Cássio Marques da Silva, vulgo "Monstro", ele se encontra no complexo prisional do curado, e Tiago Pedro da Silva que está no presídio de Igarassú. Os dois estariam comandando crimes de dentro das unidades prisionais.

De acordo com o delegado Rogaciano Campos que conduziu a operação, o grupo seria responsável por um triplo homicídio que aconteceu no inicio deste ano na cidade de Escada, Mata Sul do estado e que teria sido motivado pela disputa de tráfico. Ainda segundo o delegado, o crime chamou a atenção da policia, já que as vítimas tiveram parte do corpo decepada. Das prisões realizadas, quatro são mulheres. Elas foram encaminhadas para a colonia penal feminina Bom Pastor no Recife.

Os outros alvos que estavam foragidos foram encaminhados para o complexo prisional do curado, para a cadeia pública de Escada e para os presídios de Igarassu e de Vitória de Santo Antão. Na ação a policia apreendeu drogas, armas, munições e um veículo que havia sido roubado para a prática dos crimes Dois suspeitos que também fazem parte da quadrilha, ainda estão sendo procurados pela polícia. Eles não tiveram os nomes revelados para não atrapalhar as investigações.

Confira outras infiormações com a repórter Juliana Oliveira:

Mais Lidas