TERMINAL

Consórcio Grande Recife justifica novas linhas do T. I. Abreu e Lima

Extinção de itinerários tradicionais, como o ônibus Caetés/Macaxeira, tem causado polêmica entre os passageiros

Rádio Jornal Rádio Jornal
Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 21/06/2016 às 8:46
Leitura:
Extinção da linha Caetés/Macaxeira gerou revolta de passageiros no T. I. Abreu e Lima. Foto: Reprodução


A inauguração do novo Terminal Integrado de Passageiros de Abreu e Lima, na Região Metropolitana do Recife, no último fim de semana veio com onze linhas de ônibus. Destas, algumas fazemc onexão com os T. I.s Pelópidas Silveira, em Paulista, e Igarassu, enquanto duas linhas de BRT têm como destino o Centro do Recife e uma linha vai até o Terminal da Macaxeira. Mas a mudança repentina de itinerários e extinção de linhas tradicionais vêm causado polêmica.

Com a inauguração da linha de BRT com destino ao T. I. Macaxeira, o tradicional Caetés/Macaxeira deixou de circular. Os passageiros reclamam que o tempo de percurso, mesmo com o BRT, aumentou, pois em alguns casos é necessário pegar dois ônibus. O Ministério Público de Pernambuco (MPPE) foi acionado para organizar uma ação civil pública e garantir o retorno do itinerário original.

No T. I. Abreu e Lima, o operador de máquinas Rafael Ribeiro estava irritado com o que considerava um "desperdício de tempo":



A implantação do T. I. Abreu e Lima é a maior intervenção da história do Sistema Público de Transporte de Passageiros no Grande Recife. O novo terminal gera impacto, também, nos terminais da PE-15, em Ouro Preto, Xambá e Rio Doce. 80 orientadores vão circular nos seis T. I.s envolvidos até o dia 30 deste mês, distribuindo panfletos explicativos.

O diretor de operações do Grande Recife Consórcio de Transportes, André Melibeu, justifica as mudanças, principalmente o fim do Caetés/Macaxeira:


Mais Lidas