PROPINA

Acusações foram muito sérias e André Rio precisa se explicar, diz Felipe Carreras

"Temos todo o respeito à classe artística, mas precisamos esclarecer isso", disse o secretário de Turismo de Pernambuco.

Rádio Jornal Rádio Jornal
Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 27/06/2016 às 10:05
Leitura:
Secretario concedeu entrevista ao programa Super Manhã. Foto: JC Imagem


Para o secretário de Turismo, Esportes e Lazer de Pernambuco, as denúncias feitas pelo cantor André Rio no áudio vazado na última quinta-feira (23) não são um caso encerrado. De acordo com Felipe Carreras, as acusações são graves e não houve pedido de desculpas formal. “Foi aberto um inquérito policial por iniciativa do Governo do Estado para que o artista prove as acusações que fez”, disse.

As declarações foram dadas pelo secretário ao comunicador Geraldo Freire, no quadro Passando a Limpo desta segunda-feira (27) na Super Manhã da Rádio Jornal. Ouça aqui a entrevista completa:

Leia também: Em áudio vazado do whatsapp, cantor denuncia cobrança de propina para shows

Depois de André Rio, Cezzinha também denuncia cobrança de propina

“Nós ficamos com a imagem maculada e André Rio precisa esclarecer quem são esses empresários que estão usando a política de incentivo cultural do Estado para se beneficiar”, disse. De acordo com Felipe Carreras, assim que soube do áudio envidado para um grupo de 100 artistas, o secretário entrou em contato com André Rio, que prometeu se explicar, mas ainda não o fez. "Eu acho que quem acusa da forma agressiva que está no áudio tem que fazer uma retratação e acredito que cabe uma retratação pública desses artistas, pois em nenhum momento eles foram a público se retratar", declarou.

O secretário defendeu ainda o zelo que tem com o dinheiro público nas contratações e disse achar que o discurso foi mudado. "Ele está mudando o que foi dito, o que está no áudio foi algo diferente do que ele diz agora, agora se está falando da política cultural do Estado. O que o Estado faz é publicar um edital em que os artistas se inscrevem para serem contratados", diz Carreras.

“Recebemos o apoio de artistas pernambucanos dando seus depoimentos de que nunca houve cobrança de propina na contratação para shows e eventos promovidos pelo Governo do Estado”, disse. “Quem me conhece, sabe que não existem barreiras. Meu gabinete é aberto para os artistas de Pernambuco”, completou.

A presidente da Empetur, o secretário de Cultura e o presidente da Fundarpe devem entrar com uma interpelação judicial ainda na manhã desta segunda, para que o artista venha a provar a suposta oferta de shows que teria sido feita a ele, como afirmado no áudio, segundo Felipe Carreras.

Mais Lidas