AGRESSÃO

Polícia prende homem suspeito de afundar crânio de enteado de 3 anos

Crime aconteceu em dezembro de 2015 e paralisou os membros inferiores e superiores da criança. A mãe da criança também foi presa por omissão

Rádio Jornal Rádio Jornal
Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 27/06/2016 às 16:30
Leitura:
Foto: Reprodução/ Google Street View

A Polícia Civil apresentou os detalhes da prisão de Tuamis Cesar Felix, de 22 anos, acusado agredir o enteado, na época com apenas 3 anos de idade, e Ana Paula Guedes do Nascimento, de 20 anos, a mãe da criança.

A Delegacia de Peixinhos, em Olinda, executou os mandados de prisão expedidos pela 3ª Vara Criminal de Olinda, na Região Metropolitana do Recife, por maus-tratos, no caso do padrasto, em episódio em dezembro do ano passado e omissão por parte da mãe. Na época, a criança teria sido queimada e atingida no crânio, ocasionando afundamento ósseo.

De acordo com o delegado Wagner Domingos, violações contra o menor eram constantes. “A agressão foi tão forte que metade do crânio perdeu a parte óssea, houve o afundamento craniano e ela está paralisada metade do corpo por conta da agressão”, disse.

Confira os detalhes na reportagem de Rafael Carneiro:

A denúncia de agressões, partiu da avó paterna, que suspeito a partir de ferimentos apresentados. O episódio que gerou paralisia de membros inferiores e superiores na criança, ocorreu no dia 27 de dezembro de 2015, no Alto Sol Nascente, também em Olinda e na investigação foi contatado que eram comuns violações contra o garoto.

Após as prisões, a criança foi encaminhada para a casa da avó paterna, e espera o fim de processo de guarda em curso.

Em depoimento, Ana Paula, grávida de uma criança de oito meses, não considerou agressões do companheiro. “Ela simplesmente fala que ele disse que não é verdade, que não cometeu agressão e ela acreditou”, disse.

Mais Lidas