INVESTIGAÇÃO

SDS admite falha de comunicação em perícia realizada em quarto de Morato

O Sinpol enviou, nesta segunda, ofícios à SDS e à Polícia Científica pedindo autotomia de investigação no caso

Rádio Jornal Rádio Jornal
Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 27/06/2016 às 18:24
Leitura:
Foto: Isabela Dias/ Rádio Jornal


A Secretaria de Defesa Social de Pernambuco (SDS) admite que houve falha de comunicação no momento da perícia realizada no quarto onde o empresário Paulo César Morato foi encontrado morto na última quarta-feira (22).

Em coletiva realizada na tarde desta segunda-feira no auditório da SDS, o secretário executivo Alexandre Lucena explicou que a perícia papiloscopista foi realizada no dia em que o corpo foi encontrado no Motel Ti Ti Ti, em Olinda. Mas admite que o perito que realizou os procedimentos, Lauro Macena, havia recebido a necessidade de uma perícia complementar, que não foi realizada.

Ouça o que disse o secretário Alexandre Lucena:

Confira os detalhes na reportagem de Isabela Dias:

O Sindicato dos Policiais Civis de Pernambuco (Sinpol) enviou, nesta segunda, ofícios à SDS e à Polícia Científica pedindo autotomia de investigação no caso. Segundo a entidade, os peritos papiloscopistas foram impedidos de realizar coleta das digitais no quarto onde o corpo foi encontrado.

O presidente da Sinpol, Áureo Cisneiros acompanhou a coletiva e afirmou que muita coisa ainda precisa ser esclarecida. Confira a entrevista com Áureo:

O empresário Paulo César Morato era alvo de investigação da Polícia Federal por suposta participação no esquema investigado pela Operação Turbulência segundo inquérito empresas de fachada movimentaram mais de R$ 600 milhões e financiaram a campanha do governador Eduardo Campos.

Mais Lidas