INVESTIGAÇÃO

Perito dos casos PC Farias e Isabela Nardoni comenta morte de Morato: “o corpo fala”

De acordo com George Sanguinetti, o “silêncio de Morato foi providenciado”. Perito acredita que investigação cometeu erros graves

Rádio Jornal Rádio Jornal
Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 01/07/2016 às 10:04
Leitura:


George Sanguinetti é recifense de nascimento, mas mora em Maceió, capital de Alagoas. Ele atuou nas investigações dos casos de assassinato de PC Farias, na década de 1990, na morte da menina Isabela Nardoni, em São Paulo, e no homicídio de Eliza Samúdio, que teve o envolvimento do goleiro Bruno, em Minas Gerais.

Apesar de não estar oficialmente no caso, o perito acompanha de perto as investigações da morte do empresário Paulo César Morato, que estava foragido da Polícia Federal e foi encontrado morto num quarto de motel em Olinda. Desde o começo, Sanguinetti fez importantes colocações nas redes sociais sobre a necessidade de um trabalho bem feito.

O perito estranha o fato de que no local não foi encontrada uma carta de despedida o que fortaleceria a tese de suicídio. Ele também estranha que a coleta de material feita por profissionais daqui durou somente 40 minutos.

Numa entrevista exclusiva à Rádio Jornal, George Sanguinetti faz uma análise minuciosa dos acontecimentos. Ouça na íntegra:

O perito diz que existem indícios capazes de se chegar a uma conclusão inquestionável. Para ele, a sociedade exige todas as respostas para que não pairem dúvidas.

Mais Lidas