A CIDADE E O CIDADÃO

Mistério da morte da garota Beatriz intriga polícia pernambucana

Após sete meses, a polícia ainda não conseguiu elucidar o crime que chocou Petrolina

Rádio Jornal Rádio Jornal
Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 04/07/2016 às 17:41
Leitura:

Na Coluna A Cidade e o cidadão desta segunda-feira (4), Graça Araújo e o repórter especial do Jornal do Commercio Felipe Vieira falaram sobre os sete meses da morte da garota Beatriz Angélica Mota, de 7 anos, e os mistérios que cercam o caso.

Foto: Reprodução/ TV Jornal

O crime ocorreu na noite do dia 10 de dezembro de 2015. Na quadra do colégio, onde o pai ensinava e a menina estudava, ocorria a formatura do 3º ano do Ensino Médio. A menina saiu de perto da mãe, foi até o bebedouro e desapareceu. Por volta das 22h50, o corpo da garota foi encontrado com 42 facadas, dentro da sala de material esportivo desativada.

Até o momento, a polícia não elucidou o crime. Dois delegados já passaram pelas investigações e uma força-tarefa foi montada para ajudar os policiais de Petrolina. No último dia 15 de junho, o Ministério Público de Pernambuco instituiu seis promotores para ajudar nas investigações.

Confira a coluna na íntegra:

Mais Lidas