INVESTIGAÇÃO

Nova fase da Lava Jato pede prisão de ex-tesoureiro do PT que já estava preso

Nomeada como "Abismo", etapa é a 31ª da Operação Lava Jato e investiga fraudes na Petrobras

Rádio Jornal Rádio Jornal
Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 04/07/2016 às 7:39
Leitura:
Operação Lava Jato foi deflagrada em março de 2017 e chega agora na 31ª fase. Foto: JC Imagem

Foi deflagrada no início desta segunda-feira (04) a 31ª fase da Operação Lava Jato. São 35 mandados judiciais, sendo quatro de prisão temporária, um de preventiva, 23 de busca e apreensão, além de sete conduções coercitivas, que é quando a pessoa é levada para prestar depoimento.

A nova fase da Lava Jato está sendo chamada pela Polícia Federal de "Abismo" e tem como principal atingido o ex-tesoureiro do PT, Paulo Adalberto Alves Ferreira, alvo de prisão preventiva.Paulo Adalberto Alves Ferreira já estava preso na Operação Custo Brasil, deflagrada há duas semanas e que investiga indícios de corrupção no INSS. A PF também cumpriu um mandado de busca e apreensão contra ele, em Brasília.

A investigação desta fase desta fase, conforme a PF, tem o objetivo de apurar a fraude ao processo licitatório, o pagamento de valores indevidos a servidores da Petrobras e o repasse de recursos a partido político em virtude do sucesso obtido por empresas privadas em contratações específicas como, por exemplo, o projeto de reforma do Centro de Pesquisas da Petrobras (Cenpes), estabelecido na Ilha do Fundão, no Rio de Janeiro.

Mais Lidas