TRANSNORDESTINA

Série "Fora dos Trilhos" mostra os atrasos na obra da Transnordestina

Dez após o início da construção, a ferrovia ainda não começou a funcionar. Dos 1752 quilômetros de trilhos que serão implantados, mesmos de 600 quilômetros foram concuídos

Rádio Jornal Rádio Jornal
Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 05/07/2016 às 10:42
Leitura:
Em Missão Velha, no Ceará, nossa equipe não encontrou nenhum trabalhador na obra

Começa hoje na Rádio Jornal a Série “Fora dos Trilhos” que mostra os prejuízos causados pelo atraso nas obras da ferrovia Transnordestina que teve início em 2006. Pelo projeto, 1752 quilômetros de ferro cortam três estados: Piauí, Ceará e Pernambuco.

O objetivo, depois de pronta, é transportar produtos do interior para os portos de Pecém, no Ceará, e Suape, em Pernambuco. Uma década depois, menos de 600 quilômetros da ferrovia foram implantados e neste ano as atividades pararam.

Em Salgueiro, a obra avançou. Mesmo assim, ainda falta a implantação de 1249 km de trilhos

O valor da obra que começou em R$ 4,5 bilhões já passa dos R$ 11 bilhões. A empresa Transnordestina Logística S/A que tem a concessão para explorar o serviço ferroviário na região ainda não conseguiu apresentar um parecer que comprove a necessidade de mais dinheiro para terminar a ferrovia.

Ouça a primeira reportagem completa aqui:

Diante dos atrasos e impasses, o que resta são trilhos enferrujados, dívidas e desemprego. Atualmente, o Pólo Gesseiro, que fica na região do Araripe, produz três milhões de toneladas de gesso por ano. Com a ferrovia, a produção poderia dobrar. Para o gerente de mineração Antonio Laércio de Almeida, o transporte terrestre é um problema pra o setor.

A reportagem e a produção são de Igor Maciel, a edição é de Natália Hermosa e os trabalhos técnicos são de Evando Chaves. Todo material foi feito em parceira com o Jornal do Commercio e com a Tv jornal.

Amanhã, na última reportagem da Série “Fora dos Trilhos”, você confere como os sertanejos estão lidando com o desemprego e o comércio em baixa após a paralisação das obras da ferrovia Transnordestina.

Mais Lidas