Após susto, adolescente que caiu de ônibus recebe alta do Hospital da Restauração

Segundo testemunhas, adolescente Natália da Silva caiu do coletivo quando o motorista deu partida no ônibus com a porta aberta

INSEGURANÇA

Rádio Jornal

Natália caiu de coletivo na noite dessa quinta-feira
Foto: Cortesia


A Polícia Civil de Pernambuco investiga as causas do acidente envolvendo a estudante Natália da Silva Dantas, de 16 anos, que caiu de um ônibus, em frente ao Aeroporto Internacional do Recife, no bairro da Imbiribeira. 

Na noite da última quinta-feira (7), a adolescente saiu da escola, na UR11/Ibura, e seguia para a casa do pai, no bairro de Jordão Alto, quando por volta das 18h, caiu do coletivo que fazia a linha Aeroporto/Jordão Alto, da Empresa Vera Cruz. 

A repórter Clarissa Siqueira tem os detalhes: 

[uolmais_audio 15921469]

De acordo com a mãe da vítima e testemunhas do acidente, o ônibus estava super lotado e por causa disso, a estudante ficou perto da porta traseira. Quando o motorista parou o veículo para embarque, deixou a porta aberta e deu a partida. Com o movimento, Natalia se desequilibrou e caiu de costas no chão. 

A mãe da adolescente pede justiça
Foto: Clarissa Siqueira/ Rádio Jornal 

A menina foi socorrida pelos bombeiros e encaminhada para o Hospital da Restauração, onde fez exames, ficou em observação e recebeu alta, na manhã desta sexta-feira (8). A mãe da adolescente, a cuidadora de idosos, Maria José da Silva, detalha que o motorista não prestou socorro a menina. “O motorista estava lá como se nada tivesse acontecido. O que eu fiquei mais triste foi que se as pessoas não tivessem pedido para ele [o motorista] parar ele não tinha parado. E outra, em nenhum momento a empresa ligou para saber como ela [a garota] está”, denunciou a mãe. 

Maria José prestou queixa na Delegacia de Polícia ainda no Hospital da Restauração, no centro da capital pernambucana. Ela espera que a investigação prossiga e disse que quer justiça. 

A Empresa Expresso Vera Cruz lamentou o acidente e disse que todos os funcionários são experientes e passam constantemente por capacitações. Disse ainda que o ônibus está em perfeito estado de conservação, inclusive no que se refere ao bloqueio de portas. 

Ainda segundo a empresa, testemunhas informaram que a estudante estava encostada na porta traseira quando o motorista parou para desembarque.

Já a assessoria de imprensa do Grande Recife Consórcio de Transporte informou que uma vistoria está sendo realizada na garagem da Empresa Vera Cruz. Até o fim da tarde desta sexta o órgão vai se pronunciar se havia ou não o aparelho “anjo da guarda” no ônibus, para evitar que a porte abra com veículo em movimento. 

O acidente aconteceu pouco mais de um ano depois da morte do estudante Harlynton Lima dos Santos, de 20 anos, que também estava em coletivo da empresa quando sofreu o acidente. O caso da estudante de 16 anos reacende o debate sobre a obrigatoriedade do uso do aparelho “anjo da guarda” nos coletivos da Região Metropolitana do Recife. 

Cibelly Melo tem os detalhes: 

[uolmais_audio 15921518]

Harlinton morreu no dia 15 de junho após cair de um ônibus da Vera Cruz

O promotor do Ministério Público de Pernambuco, Humberto Graça, afirma que a responsabilidade da fiscalização dos ônibus que possuem ou não o aparelho é do Grande Recife Consórcio de Transporte.

Uma audiência na Vara Civil marcada para o dia 30 agosto vai ouvir testemunhas em torno do caso Harlynton. O jovem foi arremessado de um ônibus, no Cais de Santa Rita na noite do dia 15 de junho de 2015 quando tentava embarcar em coletivo.

De acordo com o pai da vítima, o motorista não abriu a porta e o jovem se pendurou no veículo, sendo lançado a cerca de cinco metros de distância. O advogado que está à frente do caso, Rodrigo Inojosa, afirma que até hoje a Empresa Vera Cruz não prestou nenhum auxilio à família do estudante.

TAGS

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

CONTINUE LENDO