OPINIÃO

As medidas impopulares do presidente interino Michel Temer em debate

Geraldo Freire recebeu o jornalista Ivan Maurício, o deputado federal pelo PSB, Tadeu Alencar e o economista Laércio Queiroz

Rádio Jornal Rádio Jornal
Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 08/07/2016 às 13:43
Leitura:
Foto: Luiza Falcão/ Rádio Jornal

O debate da Super Manhã desta sexta-feira (8) discutiu as medidas impopulares do presidente interino Michel Temer. Geraldo Freire recebeu o jornalista Ivan Maurício, o deputado federal pelo PSB, Tadeu Alencar e o economista Laércio Queiroz.

O presidente interino disse recentemente que não teme propor medidas impopulares para tentar recuperar a economia do Brasil. Ele citou exemplos como desvinculação das receitas orçamentárias, a modificação da meta fiscal, a proposta limitadora de gastos (que terá também os estados incluídos) e a renegociação das dívidas dos governos estaduais.

Michel Temer defendeu, ainda, o aumento salarial do funcionalismo, que, segundo ele, foi prefixado, abaixo da inflação.

Ivan Maurício falou sobre as medidas do Brasil e fez um paralelo com a situação de Portugal, que adotou medidas duras para sair da crise. “Eu espero que esse momento que a gente está vivendo seja pedagógico para a população entender”, comentou o jornalista. “Não era possível sair de dificuldade sem todo mundo pagar uma parte”, falou, sobre Portugal. “Eu acho que esse é o grande momento que estamos vivendo no Brasil. A gente está vivendo surtos periódicos de populismo e demagogia que para se ganhar uma eleição se deixa uma conta imensa para a sociedade e depois a sociedade paga”, criticou.

O deputado Tadeu Alencar comentou sobre o governo Temer. “A interinidade de que padece ainda o governo Temer lhe dá seguramente uma condição pouco efetiva de tomar medidas em profundidade. Nós estamos ainda na espera do julgamento [do impeachment] final no Senado”, disse. “Eu acho que é um traço a ser elogiável o presidente, mesmo interino, admitir que medidas vão precisar ser adotadas. Ninguém sai da crise em que nos encontramos sem medidas duras”, defendeu.

Confira os detalhes no debate:

Mais Lidas