CORRUPÇÃO

TRF decide manter mais dois investigados na Operação Turbulência na prisão

Eduardo Freire Bezerra Leite e João Carlos Lyra Pessoa de Melo Filho estão presos no Cotel, desde o dia 21 de junho

Rádio Jornal Rádio Jornal
Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 12/07/2016 às 17:02
Leitura:
Foto: Reprodução/ Google Street View


Em reunião realizada na tarde desta terça-feira (12), o Tribunal Regional Federal (TRF) decidiu manter dois investigados na Operação Turbulência na prisão. Na ocasião foi julgado o pedido de habeas corpus julgados em favor de Eduardo Freire Bezerra Leite e João Carlos Lyra Pessoa de Melo Filho. Eles estão presos desde o dia 21 de junho no Cotel, em Abreu e Lima.

João Lyra, de 40 anos, é um dos donos do jatinho que caiu e matou o ex-governador Eduardo Campos em agosto de 2014 em Santos, São Paulo. Já Eduardo Freire, o Eduardo Ventola, é dono da cerâmica Camboa e de uma mansão milionária em Tamandaré, no Litoral Sul. Os dois empresários foram presos na Operação Turbulência, um desdobramento da Operação Lava Jato que apura desvio de dinheiro da Petrobrás.

Outros dois investigados permanecem presos. São eles, Arthur Roberto Lapa Rosal, o vaqueiro Tuta Rosal, conhecido por ostentar riqueza nas redes sociais e o empresário Apolo Santana Vieira, que teve o pedido de habeas corpus negado pelos desembargadores na semana passada. O quinto alvo da operação, Paulo César Morato, foi encontrado morto em um motel em Olinda.

De acordo com a perícia da polícia, Morato faleceu em decorrência de envenenamento por chumbinho. O inquérito está sob responsabilidade da delegada Gleide Ângelo, da 9ª Delegacia de Homicídios de Olinda.

Mais Lidas