CASO BEATRIZ

Caravana vinda de Petrolina pedindo investigações não é recebida pelo governador Paulo Câmara

Manifestantes não quiseram ser recebidos por outros secretários e prometem continuar na frente do Palácio do Campo das Princesas

Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 19/07/2016 às 15:00
Leitura:
Menina Beatriz, de 7 anos, foi assassinada durante formatura em escola
Foto: Reprodução


O movimento "Somos Todos Beatriz" deixou a cidade de Petrolina, a 713 km da capital, para tentar ser recebido pelo governador Paula Câmara, no Palácio do Campo das Princesas. Nem as faixas, cartazes e apitos conseguiram fazer com que o desejo fosse atendido. Desde a noite de 10 de dezembro do ano passado, esta tem sido a rotina dos pais de Angélica Beatriz Mota, de apenas 7 anos, encontrada morta em um depósito da Escola Maria Auxiliadora, com 42 facadas.

Foto: Rafael Carneiro / Rádio Jornal

No ato, aqui no Recife, o movimento reuniu 20 mil assinaturas em documento pedindo a identificação de quem promoveu dor à família da criança. No dia do crime, 3 mil pessoas estavam numa cerimônia de formatura dentro da escola. Os pais da garota participavam da formatura da filha mais velha, perderam a menina de vista por 20 minutos e a encontraram sem vida.

Durante as investigações, cinco ex-funcionários da instituição foram apontados como suspeitos por contradições nos depoimentos e cinco delegados foram designados para o caso. O Ministério Público de Pernambuco (MPPE) instituiu um grupo especial de trabalho com promotores para acompanhar o caso.

Confira nota da Secretaria de Defesa Social (SDS) sobre o caso:

A Secretaria de Defesa Social (SDS) informa que o secretário de Defesa Social, Alessandro Carvalho, o secretário executivo da Casa Civil, Marcelo Canuto, e o chefe da Polícia Civil, Antônio Barros, estiveram à disposição do grupo que veio de Petrolina ao Palácio do Campo das Princesas reivindicar a elucidação do caso Beatriz.

Os pais da garota foram irredutíveis e não aceitaram a interlocução com a SDS e a Casa Civil e pretendiam ser atendidos pelo governador Paulo Câmara, que não se encontrava no Palácio no horário da visita do grupo. Em visita a Petrolina, este mês, o governador já havia se prontificado a receber, quando agendado o compromisso, os parentes de Beatriz. A Secretaria de Defesa Social de Pernambuco assegura que todos os esforços estão sendo empenhados para solucionar o caso. Detalhes da investigação não podem ser revelados uma vez que o sigilo é precioso para que se chegue ao (s) culpado (s) do crime.

Mais Lidas