VIOLÊNCIA

Em menos de uma semana, dona de casa de Jaboatão dos Guararapes perde três filhos

De acordo com a família, os dois filhos mais velhos tinham envolvimento com drogas. A pequena Maevilli, morta por acidente, será enterrada na tarde desta quarta

Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 20/07/2016 às 14:01
Leitura:
Maevelli da Conceição morreu vítima de um tiro acidental dado pelo irmão mais velho
Foto: Reprodução / Internet


A dona de casa Maria Bethania da Conceição morava na comunidade Terra Mar, na Estrada da Curcurana, em Jaboatão dos Guararapes, numa casa alugada, mas limpinha, como gosta de dizer. Tinha nove filhos, todos com saúde. Na quarta-feira da semana passada (13), ela tinha oito filhos. Na última terça (19), sete. Nesta quarta (20), seis filhos Em menos de uma semana, a dona de casa sentiu três vezes, em situações diferentes, a dor da perda, numa vida marcada pela violência. Em uma dessas situações, na noite de terça-feira, a pequena Maevelli Rayanne da Conceição Câmara, de 7 anos, morreu vítima de um tiro acidental dado pelo irmão mais velho, Wesley Feliciano da Conceição, de 18 anos.

Na manhã desta quarta-feira (20), enquanto estava no Instituto de Medicina Legal (IML), no bairro de Santo Amaro, na área central do Recife, para liberar o corpo da filha para o enterro, a dona de casa soube que o filho, Wesley, tinha sido encontrado morto em uma comunidade próxima à casa onde a família morava. Ele estava desaparecido desde a noite da terça-feira. Desesperado, tinha fugido de casa quando soube que a irmã morreu no Hospital da Restauração. De acordo com a polícia, Wesley era fugitivo da Fundação de Atendimento Socioeducativo (Funase), onde estava internado junto com o irmão, Wellinton Feliciano da Conceição, morto há uma semana.

Uma tia das vítimas, Andrea da Conceição, diz que Wesley usaria a espingarda que tinha em casa para vingar a morte do irmão. Em entrevista exclusiva à Rádio Jornal, Maria Bethânia da Conceição alega que os dois filhos mais velhos eram envolvidos com o tráfico de drogas e que a menina foi a maior vítima. Bastante revoltada e abalada, a mulher chegou a dizer que não vai fazer o sepultamento de Weslley. "Por mim ele ficava dentro dos matos, para a cobra comer. Vou deixar ele na pedra, que eu não aguento mais fazer enterro de ninguém", desabafou. "Eu disse a ele que outra morta eu não suportaria", revelou a mãe. Ela disse que o filho tinha muitas dívidas de drogas e a morte dele poderia ter acontecido por conta disso. "Só sei que ele matou minha filha, agora quem matou ele eu não sei não", falou. "Eu tô em pé porque Jesus está me dando força. Eu tô sem chão. Eu tô sem vida", disse a mulher, chorando.

O corpo de Maevilli deve ser enterrado na tarde desta quarta-feira no Cemitério da Muribeca, em Jaboatão dos Guararapes, no Grande Recife.

Mais Lidas