SAÚDE

Pesquisa da Fiocruz em Pernambuco aponta nova forma de transmissão do vírus zika

Mosquitos Culex também são potencial vetor da doença, além do Aedes. Vírus também seria transmitido de muriçoca contaminada para filhotes

Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 22/07/2016 às 15:10
Leitura:
Foto: Sério Bernardo / JC Imagem


Um estudo inédito realizado no Recife pela Fundação Oswaldo Cruz detectou que o vírus transmissor da zika também está presente em mosquitos da espécie culex, popularmente conhecido como a muriçoca. Esse achado confirma a espécie como potencial vetor do vírus causador da doença, já que a população do culex é 20 vezes maior em ambiente urbano que o Aedes aegypit.

A análise nos pernilongos começou a ser realizada em outubro do ano passado em campo e, em janeiro deste ano, o estudo foi realizado no laboratório de pesquisa da própria fundação onde ficou comprovada a transmissão.

Oitenta amostras com dez pernilongos cada foram coletadas para análise e o resultado foi surpreendente, pois além da transmissão do vírus acontecer por meio da ingestão do sangue de uma pessoa contaminada pela doença, verificou-se também que o contágio pode acontecer por um pernilongo que nasceu de uma muriçoca infectada, o que se chama de transmissão transovariana, como explica a chefe do Departamento de Pesquisa da Fiocruz, Constância Aires.

Ainda segundo a pesquisadora, a população mais atingida é a que mora em locais precários de saneamento básico, já que essa espécie de mosquito se aloja em locais de água suja. Constância Aires também alerta sobre a importância do uso de repelentes não só durante o dia mas principalmente à noite, já que é o período em que a muriçoca mais atua.

A Fiocruz continua o trabalho de pesquisa em outras espécies de mosquitos.

Mais Lidas