MNLM

Grupo pede apoio de Governo para luta por moradia na Transnordestina

A audiência foi solicitada pelo bispo da Diocese de Palmares Dom Henrique Soares, que tem acompanhado o andamento das negociações

Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 26/07/2016 às 7:06
Leitura:
Foto: Ricardo Labastier/ JC Imagem

A ameaça de um despejo judicial de quase 10 mil famílias foi debatida em uma audiência na noite da segunda-feira (25) na sede do Governo do Estado, o Palácio Campo das Princesas no Centro do Recife.

O motivo do pedido de despejo é a execução da obra federal da ferrovia Nova Transnordestina que vai ligar o Porto de Pecém, no Ceará, ao Porto de Suape, em Pernambuco, além do município de Eliseu Martins, no Cerrado do Piauí.

No local, representantes de organizações e movimentos sociais ligados a moradia e prefeitos dos municípios afetados, na mata sul do estado conversaram com o governador de Pernambuco, Paulo Câmara para apresentar alternativas.

Confira os detalhes no flash de Caroline Santos:

A audiência foi solicitada pelo bispo da Diocese de Palmares Dom Henrique Soares, que tem acompanhado o andamento das negociações e faz reivindicações de assistência às famílias afetadas. O religioso falou otimista sobre o resultado do encontro.

Segundo o coordenador Nacional do Movimento Nacional de Luta pela Moradia (MNLM), Paulo André, algumas pessoas já foram despejadas. A principal reivindicação das famílias é a permanência das residências e a mudança no traçado da ferrovia.

Mais Lidas