RELIGIÃO

Polícia investiga incêndio que destruiu terreiro de matriz africana no Cabo de Santo Agostinho

O barracão mais antigo de candomblé da cidade pegou fogo na última terça-feira (26) e a polícia civil aponta que o incêndio pode ter sido criminoso

Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 29/07/2016 às 15:18
Leitura:
Foto: Douglas Hanubis / Divulgação


Funcionando há mais de 20 anos no Cabo de Santo Agostinho, na Região Metropolitana do Recife, o terreiro de matriz africana Ilê Axé Ofá Loxé está de portas fechadas. O barracão mais antigo de candomblé da cidade pegou fogo na última terça-feira (26) e a polícia civil aponta que o incêndio pode ter sido criminoso.

De acordo com testemunhas, as chamas começaram por volta das 21h30, numa fogueira montada no centro do terreiro, onde foram colocados objetos e imagens de barro usados nas celebrações. O pai de santo Douglas de Oya Quere diz que não tem inimigos, mas desconfia que o incêndio tenha sido provocado por intolerância religiosa.

Além da destruição provocada pelas chamas, foram levados do terreiro instrumentos musicais, eletrônicos, objetos de cozinha, fogão, geladeira e freezer. Segundo o pai de santo, aos poucos o espaço vai voltar a ser erguer com apoio dos amigos.

A delegacia do Cabo de Santo Agostinho está responsável pelo caso. Uma perícia deve ser feira no local na próxima semana.

Mais Lidas