ASSASSINATO

Ao som da Orquestra Cidadã, jovem músico é enterrado no Recife

Moisés Gonçalves foi morto nessa segunda-feira (1º) na Ilha de Joana Bezerra. Uma briga por um colar de prata pode ter motivado o crime

Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 03/08/2016 às 14:15
Leitura:
Familiares e amigos prestaram última homenagem ao jovem músico
Foto: Pedro Alves / JC


Um jovem de 21 anos e um talento para a música. Em 2014, foi até Roma fazer uma apresentação para o Papa Francisco. Um dom especial para tocar violino. Mas, o sonho do músico ex-integrante da Orquestra Criança Cidadã, Moisés Gonçalves, foi precocemente interrompido. Nesta quarta-feira (3), sob forte comoção, familiares e amigos deram adeus ao jovem, no velório que ocorreu no Cemitério de Santo Amaro. Moisés foi morto nessa segunda feira (1º), na comunidade onde morava, em Joana Bezerra.

Os colegas da orquestra estiveram presentes no velório e fizeram uma homenagem ao músico, tocando a música My Way. João Pedro Lima, de 20 anos, era monitor da orquestra e junto com o Moisés, ensinava outros alunos a tocar violino. Ele conta que aconselhou o amigo e fala do tempo em que estavam juntos.

Moisés de Araújo, pai do jovem, presenciou o assassinato do filho
Foto: Isabela Dias / Rádio Jornal

O músico havia deixado a orquestra há alguns meses, mesmo com a insistência de colegas e familiares para que continuasse. Moisés de Araújo, pai do jovem, presenciou o assassinato do filho. O pai da vítima relata ainda que o crime pode ter sido motivado por uma briga por uma corrente de prata e diz que o filho se envolveu com pessoas ligadas ao crime.

O caso está sendo investigado pelo delegado Alfredo Jorge, do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). Até o momento, não foram efetuadas prisões de envolvidos no caso.

Mais Lidas