ARTROGRIPOSE

Pesquisa aponta relação entre zika e má formação congênita nas articulações

A pesquisa foi realizada pela Associação de Assistência à Criança Deficiente do Recife (AACD) revela a relação entre zika e má formação, a artrogripose

Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 11/08/2016 às 7:30
Leitura:
Coordenadora da pesquisa, a neuropediatra Vanessa van der Linden
Foto: JC Imagem


Um estudo realizado por dois pesquisadores da Associação de Assistência à Criança Deficiente do Recife (AACD) revela que bebês que tiveram zika, transmitida pela mãe durante a gravidez, adquiriram deformidade nas articulações. Sete crianças com alterações cerebrais foram analisadas. Elas apresentaram artrogripose, uma má formação congênita que afeta as articulações e que estão associadas ao zika vírus.

De acordo com a coordenadora da pesquisa, a neuropediatra Vanessa van der Linden, a artrogripose pode estar ligada a outras doenças.

Confira os detalhes na reportagem de Suelen Fernandes:

De acordo com a médica, a condição não tem vínculo com a microcefalia. Além disso, todos os pacientes apresentaram resultado negativo para outras cinco causas infecciosas como toxoplasmose, citomegalovírus, rubéola, sífilis e HIV. Foram realizadas análises de imagens cerebrais dos bebês, que também passaram por ultrassom para diagnosticar a alteração.

O estudo também contou com a coordenação do ortopedista Epitácio Leite Rolim Filho e de outros profissionais de instituições médicas pernambucanas.

Mais Lidas