OPINIÃO

Acidente que matou jovens em Boa Viagem é repleto de mistério

A coluna A Cidade e o Cidadão ouviu a presidente do Conselho Estadual de Trânsito, Simirames Queiroz, para falar sobre o caso

Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 16/08/2016 às 18:24
Leitura:
Foto: Cortesia


A presidente do Conselho Estadual de Trânsito, Simirames Queiroz, conversou com Graça Araújo e Roberta Soares na coluna A Cidade e o Cidadão, nesta terça-feira (16). O assunto foi o acidente de carro que matou duas pessoas atropeladas no último fim de semana.

A Polícia Militar levou o condutor do veículo para a UPA da Imbiribeira e depois o liberou. A família e os moradores da localidade denunciam que houve relaxamento quanto à abordagem do homem, que aparentava sinais de embriaguez.

LEIA TAMBÉM

Muitas lacunas na apuração do acidente que matou dois jovens em Boa Viagem

“A gente viu que a pessoa que estava na condução do veículo não estava no momento que a polícia chegou. Deveria estar, a não ser que fosse um caso de socorro imediato o que a gente não sabe”, comentou Simirames.

Isabela Cristina de Lima morreu na hora. Adriano Francisco dos Santos faleceu no HR

De acordo com a CTTU, o condutor já havia sido levado. A população tentou agredir o motorista, que foi retirado da cena do crime pela Polícia Militar e levado para a UPA da Imbiribeira.

Sobre o teste do bafômetro, Simirames disse que a Polícia Militar poderia realizar o teste do bafômetro e, caso o motorista se recusasse a fazer, era possível realizar a descrição do estado do condutor no momento de preencher o Boletim de Ocorrência.

Confira a coluna completa:

A perícia foi no local e encontrou bebidas alcoólicas no veículo. A população está revoltada com o caso e realizou protestos na localidade.

Para Roberta Soares, jornalista setorista de trânsito, acredita que casos como esse devem ser tratados como crime e não como acidente. "Não dá mais para aceitar as pessoas bebendo e dirigindo", criticou.

Mais Lidas