FUTEBOL

Morre, aos 100 anos, ex-presidente da Fifa João Havelange

Ele foi um dos brasileiros mais poderosos da história do futebol mundial. Morreu com infecção respiratória

Rádio Jornal Rádio Jornal
Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 16/08/2016 às 9:30
Leitura:
João Havelange comandou esporte mundial de 1974 a 1998. Foto: Divulgação/Internet

Morreu no início da manhã desta terça-feira (16) o ex-presidente da FIFA, João Havelange. Ele estava internado no Hospital Samaritano, no Rio de Janeiro e faleceu com infecção pulmonar. Nascido em maio de 1916, Havelange tinha 100 anos de idade e comandou por décadas o futebol brasileiro, quando presidiu a CBF (1956-1974) e a FIFA (1974-1998).

Filho de um comerciante de armas belga, Jean-Marie Goedefroid de Havelange foi um dos cartolas mais influentes da história do esporte. Presidente da Fifa durante 24 anos (1974 a 1998), ele conviveu com diversas denúncias de corrupção em sua gestão e é apontado como um dos responsáveis pela popularização do futebol em lugares como a África e a Ásia.

Antes de se tornar dirigente, Havelange construiu uma história de sucesso como atleta. Pelo Fluminense, seu clube de coração, disputou diversos esportes e destacou-se primeiro na natação. Ele chegou a disputar os Jogos Olímpicos de Berlim, em 1936, nas piscinas.
Foi sob a gestão de Havelange que a Copa do Mundo atraiu o interesse de grandes patrocinadores e passou a render mais financeiramente.

Ao mesmo tempo, o crescimento da Fifa também criava suspeitas de que Havelange teria se aproveitado do processo para lucrar pessoalmente. Influente, o cartola manteve contato próximo com diversos políticos e conseguiu estender seus tentáculos ao futebol brasileiro em 1989, quando colocou seu ex-genro Ricardo Teixeira na presidência da CBF.

Foi da relação com o afilhado político que saiu seu grande tendão de Aquiles, que curiosamente tornou-se público depois que ele deixou a presidência da entidade, em 1998. Segundo a BBC, ele e Ricardo Teixeira receberam propina da ISL, agência de marketing que trabalhava com a Fifa. Em dezembro do ano passado, João Havelange renunciou ao cargo que tinha no COI (Comitê Olímpico Internacional).

Ainda não há informações sobre data e horário de velório e enterro.

Mais Lidas