POLÍTICA

No Recife, Gilmar Mendes diz que ideia de Dilma para plebiscito parece brincadeira

O atual presidente do TSE esteve na capital pernambucana para seminário sobre o novo código de processo civil

Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 16/08/2016 às 7:08
Leitura:
Foto: Ricardo Labastier/ JC Imagem


O ministro do Supremo Tribunal Federal e atual presidente do Tribunal Superior Eleitoral, Gilmar Mendes, esteve no Recife nessa segunda-feira para participar de um seminário sobre o novo código de processo civil. Apesar do tema do encontro, Gilmar comentou falou sobre a campanha eleitoral e comentou a proposta da presidente Dilma, afastada pelo processo de impeachment, de convocar plebiscito para novas eleições, caso volte ao cargo.

Sobre o processo de cassação da chapa PT/PMDB à presidência, Gilmar Mendes afirma que pode ser concluído ano que vem. Enquanto isso, o processo de impeachment contra Dilma deve ser julgado no dia 25 de agosto.

Em relação à proposta de Dilma de convocar novas eleições, Gilmar Mendes diz que a constitucionalidade teria que ser checada. “Na época de Collor houve o impeachment. Não ocorreu a ninguém naquela hora a ideia de chamar um plebiscito ou defender novas eleições”, diz.

Gilmar Mendes afirmou ainda que, mesmo que a presidente Dilma volte, ela não tem base política para aprovar nada. “Parece uma brincadeira de criança”, disse.

SISTEMA ELEITORAL

Para o presidente do Tribunal Superior Eleitoral, a “Lei da Ficha Limpa” não exclui os políticos desonestos. Gilmar Mendes também contesta o fim do financiamento de campanha eleitoral por empresas sem uma mudança no sistema.

Outra crítica é quanto ao número de partidos existentes. São 35 registrados até o momento. Pelo menos outros 21 pretendem ganhar o registro.

Mais Lidas