AGRESSÃO

“Não é tua filha, deixa a menina”, dizia pai de homem suspeito de matar enteada

Vitória Gabriele Gomes da Silva, de 5 anos, morreu ontem à noite depois de passar três dias internada no Hospital da Restauração. O padrasto, Carlos Cleiton de Oliveira, é suspeito de agredir a menina

Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 20/08/2016 às 11:08
Leitura:
Foto: Bobby Fabisak | JC Imagem



A morte da menina Vitória Gabriele Gomes da Silva, 5 anos, supostamente vítima de agressões pelo padrasto e ambulante, Carlos Cleiton de Oliveira, 18 anos, revoltou o pai do suspeito, Carlos Candido de Oliveira.

Ele que foi ao Instituto de Medicina Legal na manhã deste sábado (20) depois que soube, pela imprensa, que a criança tinha passado três dias internada no Hospital da Restauração, em decorrência das várias pancadas na cabeça e nas pernas e faleceu ontem. Outros familiares da menina ainda não foram liberar o corpo da menina para o enterro.

O pai do padrasto, Candido, diz que Cleiton já tinha histórico de agressões a Vitória e que alertou várias vezes a família sobre a índole do filho:



Candido diz, agora, que quer a guarda da irmã da vítima, filha do agressor com a mãe de Vitória, que tem menos um ano. “Tem uma outra criança, que é minha neta. Vou correr atrás dela porque os pais não têm a capacidade de criar essa criança”, disse.

Ainda não há a previsão de quando e onde o corpo de Vitória vai ser enterrado. Carlos foi preso por lesão corporal grave, seguido de morte. Ele foi encaminhado para o Centro de Triagem, Cotel, em Abreu e Lima, onde aguarda decisão da Justiça.

Mais Lidas