JULGAMENTO

Armando acredita que fala de Dilma pode sensibilizar senadores indecisos

Armando Monteiro, que votará contra o impeachment, falou ainda que os senadores devem se despir de interesses políticos na hora do voto

Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 27/08/2016 às 16:43
Leitura:
Armando Monteiro em entrevista à Rádio Jornal
Foto: Rádio Jornal


O senador Armando Monteiro (PTB-PE), ex-ministro da gestão da presidente afastada Dilma Rousseff, conversou com o repórter Romoaldo de Souza. Na próxima segunda-feira (29), ela vai ao julgamento no Senado e pediu que tivesse um grupo de, mais ou menos, 30 pessoas a acompanhando, o que poderia sensibilizar os indecisos.

Para Armando, mais do que a presença desse grupo, a fala de Dilma poderá sensibilizar os senadores. “O que poderá sensibilizar o plenário é a própria fala da presidente, ou seja, ela trazer ela própria, que ao final será a grande vítima desse processo, com a palavra dela”, comentou. “Eu tenho certeza que ela fará isso com aquilo que corresponde a suas próprias marcas pessoais, de maneira altiva, com firmeza e convicta das suas razões”, disse.

Segundo o senador, os colegas deveriam se despir dos interesses políticos para agirem como juízes nesse processo.

Confira os detalhes no flash de Romoaldo de Souza:

Numa conversa na casa de Renan Calheiros (PMDB) com petistas, caso seja aprovado o processo de impeachment, a presidente seria afastada em definitivo, mas não perderia os direitos políticos dos oito anos. Armando Monteiro comenta a possibilidade. “Me parece que isso é um efeito secundário da sanção. Não pode haver, a meu ver, um acordo produzido na última hora para mudar aquilo que hoje corresponde ao que a lei dispõe”, avaliou. “Eu acho que a questão agora é a esperança que nós temos de que a presidente possa preservar o mandato que lhe foi outorgado pela maioria dos brasileiros”, completou.

Mais Lidas