ENTREVISTA

"Fatiamento foi vergonhoso, armação e jeitinho brasileiro", diz Álvaro Dias

Senador paranaense diz que a Constituição Brasileira foi pisoteada no julgamento de Dilma Rousseff

Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 06/09/2016 às 10:24
Leitura:
Foto: Agência Senado

Em entrevista ao quadro Passando a Limpo desta terça-feira (06) na Rádio Jornal o Senador Álvaro Dias (PV) criticou duramente o fatiamento da pena de Dilma Rousseff no Senado e chamou de afronta à Constituição, malandragem, esperteza e "jeitinho brasileiro" que a votação da pena tenha sido fatiada de modo a garantir os direitos políticos de Dilma, mesmo ela sendo afastada definitivamente.

Álvaro acredita que no que diz respeito ao afastamento de Dilma houve o "cumprimento cabal e definitivo do da Constituição", mas faltou atender todos os supositivos constitucionais. "O que houve no Senado foi uma afronta à Constituição, pisotearam sobre ela, foi um ato vergonhoso. Não precisa nem ser jurista, basta saber ler. Pois uma vez afastada definitivamente seria com suspensão dos direitos políticos", declarou.

O senador defende que com a separação da pena, não apenas Dilma é beneficiada, mas "na esteira desse benefício de Dilma, outros virão". Apesar dos pedidos de revisão da votação ao STF, Álvaro Dias não acredita em uma reversão no Supremo. "O supremo pode tudo e não há possibilidade de recurso às decisões dele, mas eu não creio que essa seja a decisão do supremo. Creio que se o Supremo não acolher a divisão, vai acolher o que ocorreu e permanecerá o equívoco, aliás, equivoco não a malandragem", concluiu.

Incomodado com a decisão do ministro Ricardo Lewandowski, Álvaro Dias falou ainda em malandragem, esperteza e lamentou: "se os senadores não respeitam a constituição, quem havera de respeitá-la?"

Ouça aqui a entrevista completa:

MANIFESTAÇÕES E REFORMAS

Na entrevista o senador opinou ainda a respeito das manifestações de rua que tem ocorrido desde a decisão pelo impeachment e alegou "democracia é assim, que bom que o povo está indo pra rua, isso não faz mal ao país, só faz bem. O Brasil estava dormindo em berço esplendido, mas essas manifestações devem ser pacíficas. O que não poderia era a quadrilha continuar assaltando o Brasil como assaltava". E ao falar de corrupção no antigo governo, Álvaro Dias declarou ainda que são "as Centrais Sindicais que se beneficiaram desse tipo de governo promíscuo que são acionadas, se mobilizam e vão pra rua".

Já sobre as reformas, entre elas a da previdência, Álvaro defende que sejam feitas o quanto antes e que é preciso ter cuidado com a forma como elas são divulgadas. "Trata-se de uma questão urgente que tem que ser enfrentada. Eu acho que não há porque esperar, temos que submeter essas propostas. Senão não haverá tempo para esse grupo de reformas, que vai exigir muita coragem e muita ousadia. Tem muita conversa, insinuacão e especulação sobre reforma da Previdência. O governo precisa ganhar essa batalha da comunicação também", resumiu o senador.

Mais Lidas