JUSTIÇA

Julgamento do caso Artur Eugênio deve durar uma semana

O início do julgamento aconteceu nesta quarta-feira (21) e promotora diz que esse é o primeiro passo para restituir sentimento de justiça para família

Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 21/09/2016 às 14:39
Leitura:

Foto: Rafael Carneiro/Rádio Jornal



O primeiro dia do júri popular, no fórum de Jaboatão, na Região Metropolitana do Recife, está reservado às ouvidas das testemunhas. A acusação convocou peritos do Instituto de Criminalística e a esposa da vítima.

Já a defesa, convocou um funcionário da empresa do cirurgião Cláudio Amaro Gomes, que teria recebido os cheques utilizados para pagar os assassinos, que não foi encontrado pelo oficial de justiça designado.

A juíza Inês Maria de Albuquerque deu início ao julgamento com a escolha dos sete jurados e a fase de ouvidas com a viúva, Karla Rameri, em que apresentou detalhes da relação entre os sócios, Artur Eugênio e Cláudio Amaro Gomes:



Para a promotora do Ministério Público de Pernambuco, Dalva Cabral, a morte foi motivada por desavenças profissionais e não há dúvidas sobre a condenação de Cláudio Amaro Júnior, filho do ex-sócio de Artur Eugênio, e do motorista Lyferson Barbosa da Silva - os dois primeiros a serem julgados.

Os pais e os amigos do doutor Artur promoveram um novo ato por justiça. Eles disseram estar confiantes da condenação dos acusados de tirar a vida do médico em 2014, com dois disparos de arma de fogo, após ser seguido e levado até as margens da BR-101.

Nesta quinta-feira (22), serão exibidas mídias com 20 horas de depoimentos gravados de testemunhas de acusação. O júri deve durar uma semana.

Mais Lidas