DESCASO

Samu Olinda tinha vários focos de mosquito da dengue, diz Cremepe

Em documento enviado a imprensa, o Cremepe afirma que o local estava abandonado pelo poder público. As atividades no Samu Olinda estão suspensas a partir desta terça (11)

Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 11/10/2016 às 8:43
Leitura:
Foto: Simepe/Divulgação


O Conselho Regional de Medicina de Pernambuco (Cremepe) e o Sindicato dos Médicos de Pernambuco (Simepe) interditaram nesta segunda-feira (10) o Serviço de Atendimento Móvel (SAMU) de Olinda. Após denúncias de invasão da base, além de ameaças e intimidações de médicos da unidade, o Cremepe realizou uma fiscalização no local e determinou a interdição imediata.

[GALERIA]

Entre os motivos apresentados pelo Conselho para interdição, estão problemas como depósito de carros velhos com água empoçada, falta de portão na entrada da base e ausência de guaritas, facilitando as invasões na unidade, estruturas físicas precárias e instalações elétricas recobertas com sacos plásticos. “Um cenário de descaso por parte do poder público”, diz o documento enviado a imprensa informando a interdição.

O presidente do Simepe, Tadeu Calheiros, defende medidas urgentes para organização do local:

RESPOSTA

Em nota, a Secretaria de Saúde de Olinda informa, que "até o presente momento não recebeu oficialmente quaisquer notificação referente a interdição ética das atividades do SAMU/Olinda. Informamos ainda, que o serviço de atendimento à população está funcionando normalmente com as equipes completas.

Ressaltamos que em virtude das obras de drenagem e pavimentação no estacionamento do Samu/Olinda, ainda hoje a base será transferida para as dependências do Corpo de Bombeiros".

Mais Lidas