Índios de Pernambuco fecham BR-101 em protesto contra governo federal

Representantes de 12 povos protestam contra a portaria 1907/16, que retira extinguia a Secretaria de Saúde Indígena, contra a PEC 241. Índios também pedem regularização de territórios

PROTESTO

Rádio Jornal

Foto: Aline Matheus/TV Jornal


O trânsito é muito complicado na  BR-101, em frente ao Hospital das Clínicas, por conta de um protesto de grupos indígenas. Cerca de 150 indígenas dos povos Kanbiwa, Tuxa, Aticum, Pankararu, Pancara, Entre Serras, Xuxuru, entre outros, fecham a rodovia nos dois sentidos e carregam faixas e cartazes pedindo respeito à Constituição.

Representantes de 12 povos indígenas protestam contra a Portaria 1907/16, que retira autonomia e poderes da Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai). Para os índios, com a portaria, as aldeias ficam submetidas às decisões do Ministério da Saúde.

Os povos também protestam contra a PEC 241, que congela os investimentos da União durante 20 anos, e pedem regularização dos territórios indígenas. Saiba mais na reportagem de Clarissa Siqueira:

[uolmais_audio 16039988]

[uolmais_audio 16040060]

Por volta das 9h30, a Superintendência da Polícia Rodoviária Federal fez contato com a Procuradoria do Ministério Público Federal, que deve acionar um Procurador da República para conversar com os ativistas e buscar a liberação da rodovia. O protesto começou por volta das 6h30 e foi encerrado por volta das 10h30. Ouça mais na reportagem de Clarissa Siqueira:

[uolmais_audio 16040100]

Uma das organizadoras do protesto, Carmen Pankararu afirma que o ato é nacional e reinvidica um tratamento mais igualitário, empoderado e autônomo dos indígenas. "Essa semana fomos pegos de surpresa por uma portaria ministerial que tira os poderes da Secretaria Especial da Saúde Indígina e tira autonomia de 34 distritos sanitários indígenas dos País. Todo o Brasil indígena se levantou contra isso e hoje a portaria foi revogada", afirmou.

Apesar da portaria ter sido reinvidicada na manhã desta quinta-feira (27), os índios temem por outras medidas semelhantes. "Nós temos outras peutas que o governo precisa entender e priorizar enquanto políticas públicas que diz respeito a essa população indígena, que é quase 900 mil indíos nesse país", diz. "Nossa reinvidicação é pelo fortalecimento da Sesai, pelo fortalecimento dos distritos e pela renovação dos convênios que contratam 12.108 trabalhadores no país, dos quais 41.4% são indígenas", completa.

OUTROS PROTESTOS

Permanecem interditados, também por movimentos indígenas, trechos das BRs 101 e 423, em Alagoas. Na BR-101 foram interditados o quilômetro 20, em Joaquim Gomes, e o quilômetro 248, em Porto Real do Colégio. Já a BR-423 foi interditada no quilômetro 100, em Delmiro Gouveia. Para evitar o protesto, os motoristas devem seguir pelas rodovias estaduais.

TAGS

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

CONTINUE LENDO